Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

16/03/2013 - Jornal Cruzeiro do Sul / Agência Estado Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Prefeito de Aracaju é réu no STJ por corrupção passiva


O ex-governador de Sergipe e atual prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), tornou-se réu ontem de uma ação penal no Superior Tribunal de Justiça (STJ) pelos crimes de corrupção passiva, peculato e formação de quadrilha por envolvimento nos crimes descobertos pela Operação Navalha, da Polícia Federal. Além dele, outras 11 pessoas responderão a ação penal no STJ, incluindo o empresário denunciado como o operador do esquema, Zuleido Veras, o conselheiro do Tribunal de Contas de Sergipe Flávio Conceição de Oliveira Neto e o filho do prefeito, João Alves Neto.

Todos foram denunciados pelo Ministério Público Federal de integrarem e se beneficiarem de um esquema de desvio de recursos públicos e fraudes em licitações.

João Alves Neto responderá a processo pelos crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha. O conselheiro do Tribunal de Contas foi denunciado pelos crimes de corrupção passiva, peculato e formação de quadrilha. Zuleido Veras responderá processo pelos crimes de corrupção ativa, formação de quadrilha e peculato.

A Operação Navalha, deflagrada em 2007 pela Polícia Federal, desmantelou o esquema e provocou a queda do então ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau. As investigações mostraram que Zuleido Veras repassava dinheiro a agentes públicos em troca de contratos com o setor público.

O inquérito julgado ontem pelo tribunal tinha como objeto as obras do Sistema da Adutora do Rio São Francisco, contrato firmado entre a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) e a construtora Gautama. De acordo com as investigações, houve um desvio de R$ 178,7 milhões, quase 80% do valor da obra. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. (AE)

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 143 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal