Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

15/03/2013 - D24am Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Ministério Público denuncia estudante por lavagem de dinheiro e tráfico de drogas

A pena para a prática ilegal varia de três a dez anos de prisão e multa.

Manaus - O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) denunciou uma estudante de 27 anos pelo crime de lavagem de dinheiro proveniente do tráfico de drogas.

Ela é acusada de utilizar conta-corrente pessoal, entre janeiro e agosto de 2006, para ocultar e dissimular a movimentação de recursos financeiros pertencentes ao traficante colombiano Robinson Chivata Gonzales, conhecido como Juan Carlos, com quem mantinha um relacionamento.

A estudante chegou a ser presa em flagrante com Juan Carlos, em agosto de 2006, e o casal foi denunciado à Justiça Federal pelo MPF/AM pela prática do crime de tráfico internacional de entorpecentes.

A denúncia foi rejeitada em relação à mulher por falta de indícios da prática do crime, mas acatada em relação ao colombiano, que foi condenado e atualmente cumpre pena em presídio federal.

Em janeiro de 2013, a defesa de Juan Carlos ingressou com habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) mas teve o pedido negado por decisão do desembargador federal plantonista Ítalo Mendes.

A partir da ação penal que resultou na condenação do traficante colombiano, na qual a mulher foi ouvida apenas na condição de informante, a Justiça Federal determinou a instauração de inquérito policial para investigar a prática de crime de lavagem de dinheiro por parte da estudante.

Em depoimento prestado durante o andamento do inquérito, ela confirmou ter recebido depósitos de Juan Carlos em sua conta bancária. A partir dos dados obtidos por meio de quebra autorizada de sigilo bancário, ficou comprovado que a conta da denunciada recebia depósitos em espécie do traficante em valores de até R$ 9 mil.

Para o MPF/AM,a estudante sabia da origem criminosa dos valores que passaram por sua conta bancária a partir de depósitos feitos por Robinson Chivata Gonzales e deve ser condenada pela Justiça pelo crime previsto no Artigo 1º da Lei 9.613/98, que dispõe sobre os crimes de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores. A pena para a prática ilegal varia de três a dez anos de prisão e multa.

A ação penal tramita na 4ª Vara Federal no Amazonas sob o número 2399-83.2013.4.01.3200.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 166 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal