Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

13/03/2013 - Sol Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PJ apreende 100 mil litros de combustível adulterado

Por: Joaquim Gomes


A Polícia Judiciária (PJ) apreendeu hoje 100 mil litros de combustível adulterado a um grupo suspeito de fraudes fiscais e de ter lesado o Estado em dois milhões e 300 mil euros por ano. A Polícia fez três dezenas de buscas na região da grande Lisboa, em Santarém e em Pombal, durante a denominada ‘Operação Moscatel’.
Foram ainda detidas três pessoas durante as buscas, realizadas em bombas de gasolina e escritórios de firmas comerciais e de transportes de combustível, em Estoril, Azeitão, Almeirim, Santarém, Azambuja, Pombal.

A investigação é da Unidade Nacional de Combate à Corrupção, da PJ, e iniciou-se há dois anos, averiguando «a prática de alegados crimes de fraude fiscal qualificada, de fraude sobre mercadorias, introdução fraudulenta no consumo de produtos petrolíferos, falsificação de documentos, insolvência e de eventual associação criminosa com vista à prática de crimes tributários e branqueamento das vantagens provenientes da actividade criminosa no sector petrolífero».

Durante a ‘Operação Moscatel’, a PJ selou nos locais de abastecimento cerca de 100 mil litros de combustível adulterado, além de várias cisternas de transporte. E apreendeu cerca de 30 mil euros e cerca de 10 mil libras, bem como documentação variada, incluindo registos de offshores.

Segundo informações da PJ, «o modus operandi utilizado constituía-se na utilização de produtos petrolíferos que eram adulterados e posteriormente colocados na venda ao público como produto genuíno».

«A organização, composta por empresários e funcionários destes, pelo facto de não liquidar os devidos impostos – Imposto Sobre Produtos Petrolíferos, IVA e IRC – gerou um prejuízo aos cofres do Estado estimado em cerca de dois milhões e trezentos mil euros por ano de actividade», acrescenta-se.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 113 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal