Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

08/03/2013 - Portal Terra Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Procon-SP suspende vendas da Microcamp por falsas promessas


O Procon-SP determinou que a escola Microcamp suspenda as vendas e ofertas de cursos em todo o Estado a partir desta sexta-feira, informou o órgão. A punição é válida por 15 dias e visa coibir as supostas práticas desleais que a empresa vinha adotando, tais como abordagem enganosa em consumidores de condição socioeconômica vulnerável, falsas promessas de bolsas de estudo e estágio, gratuidade de cursos e garantia de colocação no mercado - que não eram cumpridas.

Além disso, o Procon-SP também afirmou que foi constatado um grande número de queixas em relação ao grupo, como a de troca de professores, alteração da data de início dos cursos, cobrança abusiva de multa contratual e oferta de cartão de crédito para financiamento dessas despesas.

Caso a Microcamp descumpra a suspensão, o órgão afirma que renovará a punição, além de uma possível ação judicial na esfera civil. "A suspensão das vendas justifica-se pela reiteração dessas absurdas práticas pelos fornecedores que compõem o Grupo Microcamp mesmo após a aplicação de diversas multas. Não podemos permitir que esses consumidores, especialmente os mais vulneráveis, continuem sendo enganados, tendo muitas vezes comprometida sua renda familiar com sonhos que lhes foram vendidos e que, na prática, acabam se tornando pesadelos", afirmou em nota o diretor executivo do órgão, Paulo Arthur Góes.

Em contato com o Terra, a Microcamp afirmou que "não foi intimada da decisão e tomou conhecimento da determinação do Procon através da imprensa". Contudo a empresa afirma que vai recorrer da dexisão "porque entende que não foi proibida de vender seus livros ou seus cursos".

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 142 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal