Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

05/03/2013 - O Rio Branco Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

MPE nega fraude em provas do concurso e marca nova data para provas


O concurso do Ministério Público Estadual realizado domingo passado, (3) para o cargo de Analista de Comunicação foi adiado através do promotor Leandro Portela, presidente da Comissão do Concurso, a nova prova foi marcada para o dia 17 de março, por conta da possibilidade de fraude no concurso do último domingo realizado para o provimento de vagas no Ministério Público do Acre (MPE).

O órgão emitiu nota de esclarecimento informando da decisão de refazer a prova para o cargo analista-documentação: comunicação social e terá, todas as questões anuladas, por causa de um problema grave na impressão da prova, as questões específicas do concurso foram entregues aos candidatos já respondidas.

A nova prova que foi remarcada acontecerá dia 17 de março

Foi publicado no site do Ministério Público estadual o edital indicando local e horário da nova prova para todos os 74 concorrentes ao cargo de Comunicação Social. Segundo os candidatos, as questões específicas de 51 a 80 estariam marcadas com as respostas corretas, levantando suspeita de uma possível fraude ou erro de impressão das provas do concurso público promovido pela Fundação Ministério Público do Rio Grande do Sul. Os candidatos procuraram um responsável pela fiscalização do concurso para informar o fato. O fiscal informou que a orientação que ele teria recebido dos organizadores do concurso seria que a prova poderia ser aplicada normalmente.

O presidente da comissão do concurso público, promotor Leandro Portela descartou a possibilidade de fraude. Portela afirmou que o erro teria sido da gráfica que imprimiu as provas, que teria se esquecido de tirar o sublinhado com respostas corretas. “Não existe possibilidade de fraude. As provas são impressas e colocadas em malote que só são abertas na presença de fiscais e candidatos. O que houve foi um erro de impressão gráfica, quando por esquecimento o sublinhado não foi tirado”, diz Leandro Portela.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 133 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal