Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

06/03/2013 - cidadeverde.com Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Candidata denuncia ao MPF suposta fraude em prova do concurso do HU

Por: Caroline Oliveira

CONCURSO: Ela procurou o MPF por se sentir lesada na prova para uma das 159 vagas de enfermeira para hospital.

A enfermeira Maria Inez Lopes denunciou ao Ministério Público Federal (MPF) a violação do lacre das provas do concurso para vagas do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Ela era uma das candidatas que estava na sala 202 na unidade 3, do Colégio Agrícola e viu um buraco no envelope de provas.

“Eu procurei o Ministério Público Estadual e lá me disseram que a competência era do Ministério Público Federal. Fui até lá e dei um depoimento do que aconteceu, porque eu estou indignada, me sentindo roubada”, declarou a enfermeira.

Segundo Inez Lopes, ela estava na sala 15 minutos antes do início das provas e o fiscal mostrou as provas faltando cinco minutos, quando perceberam a violação. “Nós vimos o rasgo do tamanho de uns quatro dedos e perguntamos o que aconteceu e eles tentaram esconder e chamaram coordenador. Ele disse que as provas estavam todas lá e pediu para alguns candidatos meterem a mão no envelope. Teve bate-boca, porque muitos queriam fazer a prova mesmo assim”, destacou a enfermeira.

Ela disse que o coordenador tirou fotos, mas às 8h10 começaram a fazer a prova. “As provas estavam lá, mas quem me garante que alguém não tirou, olhou e depois devolveu?", questiona.

Inez revela ainda que não havia detector de metais e disse estar indignada e revoltada. “Me senti num circo! E não numa sala de concurso, fazendo provas de uma instituição pública federal. Nem detector de metal tinha, todo mundo entrava e saía. Até o vigilante foi chamado na nossa sala”, afirmou.

Segundo a candidata, em sua sala apenas 10% dos candidatos eram do Piauí. “Tinha muita gente de fora de Salvador, Fortaleza, Recife, o que dificultou fazer uma denúncia em conjunto. Mas, já entraram em contato comigo e eu aconselhei a procurar o Ministério Público Federal nas cidades delas, assim como fiz aqui”.

MPF

A assessoria de comunicação do Ministério Público Federal informou que a notícia de suposta fraude no Concurso do Hospital Universitário, ocorrido no último domingo,3, foi em relação à prova para o cargo de enfermeiro.

Segundo representação feita junto ao Ministério Público Federal no Piauí, na última segunda-feira, o pacote de provas aplicadas na sala 202, do Colégio Agrícola da Universidade Federal do Piauí- UFPI estaria violado (envelope entreaberto).

O fato será apurado pelo procurador da República, Wellington Bonfim, que solicitou hoje(06) informações sobre o ocorrido à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares- EBSERH, responsável pelo concurso. A EBSERH terá o prazo de dois dias úteis para prestar as informações.

As 159 vagas de enfermagem do HU, nove para portadores de deficiência, foram as mais procuradas do concurso em nível superior. São 9.385 inscritos em busca do salário de R$ 4.188, com jornada de 30 horas semanais.

Resposta dos organizadores

Sobre o caso, o Iades divulgou a seguinte nota:

As provas objetivas realizadas na manhã do dia 3 de março para o concurso público da EBSERH, para provimento de vagas no Hospital Universitário da UFPI, foram aplicadas para um total de 10.317 candidatos, distribuídos em 41 empregos. O índice de ausência foi de quase 20% (19,99%). Todo o material de aplicação de provas foi devidamente impresso e lacrado em envelopes invioláveis (que precisam ser completamente rasgados para serem abertos), por sala e dentro de malotes devidamente lacrados por lacres duplos, a partir do ambiente de gráfica. O momento de rompimento dos lacres dos malotes ocorreu às 7h40 da manhã, nas salas de cada coordenação de local, e os envelopes foram imediatamente transportados para as salas de aplicação.

Os envelopes invioláveis somente são abertos na sala de aplicação da prova e na presença dos candidatos. Eles assinam um documento chamado Termo de Inviolabilidade, no qual testemunham o recebimento na sala de aplicação de prova, do envelope de provas devidamente lacrado.

O envelope da sala 202 do Bloco CCA/Espaço Universitário III (com 50 candidatos para o emprego de Enfermeiro), entregue a sala 202, permanecia com seu lacre adesivo intacto. O envelope em questão possuía, em sua parte lateral inferior, um rasgo reto no tamanho aproximado de 5 cm (insuficiente para visualização do conteúdo interno e retirada de algum material inserido). Entendemos que tal corte foi produzido no momento de transporte do malote ainda lacrado e que não houve nenhuma quebra de confidencialidade do conteúdo.

Os candidatos presentes entenderam a situação e testemunharam a lisura do processo, assinando o Termo de Inviolabilidade. Todos os candidatos presentes realizaram a prova normalmente.

Atenciosamente

Elza Cardoso
Diretora de Concursos
Instituto Americano de Desenvolvimento-IADES

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 608 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal