Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

22/02/2013 - JB Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Corrupção é o maior empecilho à imagem da Espanha no exterior


O jornal El País informa nesta sexta-feira que a corrupção é o maior empecilho à imagem da Espanha no estrangeiro, ou pelo menos assim vê mais da metade dos espanhóis, segundo o último indicador do Instituto Real Elcano, que coloca este problema bem à frente dos decorrentes da crise.

Este estudo - baseado em uma pesquisa com mil pessoas durante a primeira quinzena de fevereiro - indica que 52% dos espanhóis acreditam que a corrupção é o problema mais prejudicial para a imagem da Espanha, seguido pelo desemprego e pobreza (19,1%), os problemas do sistema financeiro (5,9%) e greves e protestos por parte dos cidadãos (4,1%).

Além disso, os entrevistados apontam a Espanha como o país mais corrupto em uma lista, à frente de outros europeus, como Itália e Grécia, e outros como Marrocos ou China.

Quase metade das pessoas com menos de 45 anos aponta para esta percepção que os espanhóis têm de seu próprio país e revela a existência de um alto grau de preocupação sobre a corrupção, mesmo que esta realidade seja “distorcida", como disse o pesquisador Javier Noya, responsável pela pesquisa. A enquete mostra, ainda, que a grande maioria dos cidadãos, 88,4%, considera que a imagem da Espanha no exterior não melhorou no último mês, contra apenas 8,9% que acreditam que sim.

Em qualquer caso, 59% apreciam a iniciativa Marca Espanha lançada para melhorar essa imagem. Além disso, a pesquisa mostra que quase metade (47,9%) dos espanhóis com menos de 45 anos tem considerado seriamente emigrar para melhorar suas condições de vida, a percentagem sobe para 67% no caso dos menores de 30 anos.

Além de jovem, a nova imigração espanhola seria também altamente qualificada, porque a vontade de sair aumenta significativamente com o nível educacional. Se entre os jovens com ensino fundamental o percentual dos que querem imigrar é de 35%, entre os universitários aumenta para 65%.

Curiosamente, é muito maior a percentagem de estudantes dispostos a imigrar (88%) do que desempregados (55%), enquanto que 25% dos trabalhadores têm considerado a possibilidade de deixar o país. Para fazer isso, uma em cada três com menos de 45 anos iniciou o estudo de uma língua estrangeira ou apontou um país como destino. A primeira preferência é a Europa para mais de metade das pessoas que pensam imigrar (53,9%), seguido dos EUA (11,7%) e América Latina (10,8%).

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 90 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal