Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

19/02/2013 - Público.pt - Última Hora Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Prisão preventiva para três suspeitos de fraude de 170 mil euros na Internet

Por: Marisa Soares

Grupo de sete pessoas dedicava-se a aceder ilegalmente a contas bancárias sem autorização dos titulares, movimentando somas avultadas.

Três dos sete detidos pela Polícia Judiciária por suspeita de crimes informáticos através de phishing vão aguardar julgamento em prisão preventiva. Dos restantes membros do grupo que terá lesado 37 pessoas num total de 170 mil euros, um ficou com termo de identidade e residência e os outros três estão obrigados a apresentações periódicas na polícia.

De acordo com uma nota da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), os arguidos estão “fortemente indiciados” pelos crimes de associação criminosa, acesso ilegítimo, falsidade informática, burla informática e branqueamento de capitais.

O grupo foi desmantelado durante uma operação de combate à criminalidade informática designada Sete Mares, levada a cabo pela Polícia Judiciária, que realizou 15 buscas domiciliárias na área da Grande Lisboa. Os sete detidos tinham um “sofisticado esquema de apropriação” de dinheiro através do “acesso criminoso” a “dezenas de contas bancárias” sem o conhecimento dos respectivos titulares, diz a PGDL.

Os arguidos obtinham, através da Internet, números de contas bancárias, códigos de activação e outros dados que lhes permitiam movimentar essas contas e transferir dinheiro para outras contas, através das chamas money mules (ou “mulas”). As money mules são pessoas que aceitam receber nas suas contas dinheiro proveniente de actividades ilegais, e que depois o transferem ou levantam para outras contas bancárias, neste caso registadas no estrangeiro. Através deste método ilegal, conhecido por phishing, os arguidos lesaram 37 pessoas, entre Agosto de 2012 e Janeiro passado, no valor de 169.417 euros.

Na nota da procuradoria, o Ministério Público alerta os utilizadores das páginas de Internet dos bancos para tomarem medidas de segurança adicionais: nunca preencher ou entregar em páginas de Internet os dígitos relativos ao cartão matriz, ter atenção aos avisos de fraude divulgados pelos bancos, e não aceitar propostas online que impliquem a divulgação dos dados bancários.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 101 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal