Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


AFD SUMMIT

A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

15/02/2013 - O Estado de Minas / AFP Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Banco do Vaticano, o templo financeiro da Santa Sé


O Instituto para as Obras de Religião (IOR), o nome oficial do Banco do Vaticano, é o templo financeiro da Santa Sé, uma instituição opaca que foi envolvida ao longo de sua história em vários escândalos, incluindo suspeitas de lavagem de dinheiro e conexões com os serviços secretos, com a máfia e até mesmo com as lojas maçônicas.

A nomeação nesta sexta-feira de seu novo presidente, o alemão Ernst von Freyberg, a menos de duas semanas da renúncia definitiva do papa Bento XVI, volta a colocar a entidade no centro da atualidade mundial.

Fundado em 1942 pelo papa Pio XII, o IOR administra as contas de ordens religiosas e de outras associações católicas. Nos anos 1980, foi dirigido pelo controverso arcebispo americano Paul Marcinkus, muito próximo a João Paulo II.

Durante sua presidência, explodiu um dos maiores escândalos da história da Itália e do Vaticano. O diretor do Banco Ambrosiano, cujo principal acionista era o IOR, apareceu misteriosamente enforcado em 1986 em uma ponte de Londres chamada de Blackfriars ("Frades Negros").

O caso levou à tona as relações ocultas entre o Vaticano, a loja maçônica P2, Licio Gelli e a máfia siciliana.

No ano passado, o IOR voltou ao olho do furacão quando as autoridades italianas colocaram os holofotes sobre sua gestão. Seu presidente, o italiano Ettore Gotti Tedeschi, simpatizante do Opus Dei e que durante anos foi o responsável máximo do banco espanhol Santander na Itália, foi destituído de forma fulminante em maio de 2012 por má gestão.

"Não é correto atribuir a Bento XVI o escândalo do banco, como ocorreu na época de João Paulo II, porque este Papa começou a mudar as regras da gestão financeira da Santa Sé", explicou na época o vaticanista Iacopo Scaramuzzi.

Em 2010, Bento XVI criou uma Autoridade Financeira para lutar contra a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo através das contas do Vaticano.

Em julho do ano passado, no relatório Moneyval, um grupo de especialistas do Conselho da Europa ressaltou "os passos positivos em pouco tempo", mas disse que "ainda há muito trabalho a ser feito".

Pouco depois, quando ocorreu no caso "Vatileaks" o vazamento à imprensa de documentos confidenciais do Papa, o IOR abriu suas portas à imprensa para tentar convencê-la de que financia apenas obras de caridade.

O Banco anunciou então novas normas de transparência, entre elas o desaparecimento de contas numeradas, condições mais rígidas para abrir uma conta individual, o fim das relações com bancos "off-shore" ou a obrigação de apontar as operações suspeitas à Autoridade de Informação Financeira criada em 2010.

O IOR tem 112 empregados e dispõe de fundos no valor de 5 bilhões de euros divididos em 34 mil contas de cerca de 25 mil entidades diferentes.

Cerca de 77% de seus clientes vêm da Europa e 7% do Vaticano. O IOR está sob a supervisão de uma comissão de cardeais e só contrata católicos praticantes.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 65 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal