Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

14/02/2013 - Rádio Clube Pombal 97 FM Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Leiria – Associação criminosa, burla qualificada e falsificação de documentos

Tribunal de Leiria condenou principal arguido da “Máfia do Oeste” a mais de oito anos.

Pombal 97 fm / Justiça – O colectivo de juízes do Tribunal de Leiria condenou hoje o principal arguido do grupo “Máfia do Oeste” a oito anos e quatro meses de prisão, em cúmulo jurídico, pelos crimes de associação criminosa, burla qualificada e falsificação de documentos.

O tribunal deu, como provados, a maioria dos factos que constavam na acusação do Ministério Público, considerando que os arguidos “agiram de forma livre e consciente” e em “comunhão de esforços para garantir benefícios” em proveito próprio. Apenas os arguidos Vicenzo Parasieite, Giovanni Lo Re e João Pedro estiveram presentes na leitura do acórdão, lido em menos de uma hora, uma vez que os advogados abdicaram de ouvir parte do seu conteúdo.

O colectivo de juízes entendeu condenar todos os arguidos, embora apenas três tenham de cumprir prisão efectiva. Giovanni Lo Re, apontado como o principal rosto da organização, foi condenado pelo crime de associação criminosa, co-autoria de dois crimes de burla qualificada e de dois crimes de burla qualificada na forma tentada, e dois crimes de falsificação de documentos pelo que, em cúmulo jurídico, lhe foi decretada a pena de oito anos e quatro meses de prisão, sendo absolvido dos restantes crimes de burla, falsificação, receptação e abuso de confiança, pelos quais vinha acusado.

Já Danielle Cammarata e Vicenzo Parasieite foram condenados pela prática dos mesmos crimes, tendo o colectivo de juízes aplicado uma pena de seis anos e cinco meses de prisão, também em cúmulo jurídico, a cada um. Por sua vez, João Pedro foi condenado a dois anos, com pena suspensa, pela prática de um crime de associação criminosa, enquanto a empresa Luzes Riachos, também arguida no processo, terá de pagar uma multa única de 30 mil euros.

O tribunal deu ainda como provados os crimes de detenção de arma proibida e falsificação de documentos da autoria de José Vitorino, condenado a dois anos e três meses, pena que foi suspensa por igual período. Nuno Ricardo foi condenado pelo crime de detenção de arma proibida a dez meses de prisão, pena que foi também suspensa durante um ano.

A advogada de Giovanni Lo Re, Lídia Marques, afirmou que vai recorrer da sentença, pois considera o crime de associação criminosa “uma fantasia”. Revelou, ainda, que o seu cliente recebeu a condenação de forma calma, descontraída “e consciente de que em sede de recurso se irá repor a verdade”.
Por seu lado, João Martins Leitão, advogado de João Pedro, da empresa Luzes Riachos e de José Vitorino, considerou que o facto de ter sido provado o crime de associação criminosa é uma “decisão esdrúxula”, pelo que também vai recorrer.

Em julgamento estiveram quatro italianos e três portugueses, detidos numa operação da Polícia Judiciária a 21 de Outubro de 2010, na zona de Bombarral e Torres Vedras, acusados dos crimes de associação criminosa e burlas qualificadas, que terão lesado 20 empresas em 1,5 milhões de euros.

Segundo o MP, o líder do grupo é Giovanni Lo Re, que possui um mandado de detenção europeu, por supostas ligações à máfia siciliana, sobre o qual recaem as mesmas acusações imputadas aos restantes arguidos: burla qualificada, falsificação de documentos, associação criminosa, receptação e abuso de confiança. O esquema montado passava por obter mercadoria a crédito, junto de empresas europeias que nunca chegariam a receber o dinheiro e, uma vez em Portugal, os produtos eram escoados, no mínimo, a 30% abaixo do valor de mercado, através de uma empresa sedeada em Torres Novas.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 227 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal