Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

07/02/2013 - Diário de Cuiabá Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Diarista se passava por policial civil

Por: Adilson Rosa

Leilane Ketlin Martelini, de 24 anos, foi presa em flagrante quando iria receber R$ 8 mil de um motorista de carreta, em Rondonópolis.

A diarista Leilane Ketlin Martelini, de 24 anos, foi presa por policiais civis após se passar por policial civil e exigir R$ 8 mil de um motorista de carreta.

A suspeita foi flagrada pelos policiais no momento em que tentava receber dinheiro de um motorista de carreta de 39 anos. A prisão ocorreu anteontem à noite no Jardim das Paineiras, em Rondonópolis. No ano passado, a diarista fora presa por falsificação de documentos em Jaciara.

Os policiais civis contaram que, passando-se por uma investigadora chamada Caroline, Leilane procurou o carreteiro e cobrou a propina para não investigar casos envolvendo a vítima. Assustado, o motorista denunciou o caso à Delegacia Regional da Polícia Civil, em Rondonópolis.

A partir das informações, os policiais fizeram uma pesquisa e descobriram que se tratava de um golpe – não havia policial civil alguma atuando na região chamada Caroline.

Os policiais orientaram o motorista a gravar as ligações da suspeita, cada vez mais ameaçadoras. As ligações se intensificaram e a falsa policial passou a ameaçar de morte a família da vítima, caso não fizesse o pagamento.

Para que ela fosse presa, os policiais pediram para que o caminhoneiro marcasse um local para fazer o pagamento exigido pela golpista. A diarista, então, foi até a casa do caminhoneiro.

“Assim que chegou, entrou e logo se identificou como policial civil e solicitou o dinheiro da extorsão. Em seguida, prendemos a suspeita”, informou um policial.

Aos policiais, a diarista alegou que agia a mando de outra pessoa e, por isso, era obrigada a exigir o dinheiro. A falsa policial, no entanto, não forneceu o nome do mandante do crime.

Os policiais lembraram que a diarista tem antecedente. Em março de 2001, ela foi presa durante a “Operação Contramão” em Jaciara, que desarticulou uma quadrilha especializada na falsificação de carteiras de habilitação.

A operação resultou no indiciamento de 10 pessoas por crimes de falsificação de documento, formação de quadrilha, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva e quebra de sigilo de dados.

As habilitações eram comercializadas sem o cumprimento das exigências legais, como frequência ao curso de formação de condutores e realização de testes de aptidão.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 136 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal