Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

06/02/2013 - Portal Terra Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

TCE-RJ condena Locanty a devolver dinheiro à Câmara de Caxias


O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) condenou 27 pessoas e a empresa Locanty a devolver mais de R$ 900 mil aos cofres públicos de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Segundo o tribunal, em 2011, houve superfaturamento no contrato de locação de veículos pela Câmara de Vereadores da cidade. No mesmo ano, a Casa pagou R$ 807.300 pelo aluguel de 117 veículos – valor quatro vezes superior à média de mercado. O total pago deveria ter sido de R$ 192.599.

Entre os condenados estão o então presidente da Câmara, Dalmar Mazinho de Almeida, outros 18 vereadores e sete servidores. Depois de analisar a defesa dos vereadores e da empresa Locanty, que fornecia os veículos, o TCE decidiu que eles terão que ressarcir o município com dinheiro do próprio bolso.

"Eles se defenderam, mas a defesa não foi aceita. A fraude ficou escancaradamente comprovada", afirmou o presidente do TCE-RJ, Jonas Lopes de Carvalho Junior.

No primeiro semestre do ano passado, o TCE determinou a realização de Inspeção Especial na Câmara Municipal de Duque de Caxias, com o objetivo de verificar a regularidade da licitação que resultou na contratação da Locanty para a locação de veículos usados pelos vereadores. Ao final da inspeção, foram detectadas várias irregularidades, como superfaturamento, falta de especificação dos veículos e pagamento do combustível em duplicidade, entre outras.

Dalmar Mazinho, a Locanty e as duas servidoras que atestavam as notas fiscais terão que repor ao Erário o equivalente a R$ 690.833,43; os vereadores e alguns servidores da Câmara foram condenados a devolver R$ 216.485,06. O relatório do TCE-RJ será encaminhado ao Ministério Público, que poderá instaurar inquérito criminal contra os envolvidos. Quem não devolver o dinheiro terá o nome incluído na Dívida Ativa do município e poderá ser multado.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 105 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal