Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

15/01/2013 - Diário do Grande ABC Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraudes nos bancos caem, mas sobem em telefonia e serviços

Por: Erica Martin


A representatividade das tentativas de fraudes nos bancos e financeiras em relação aos setores de serviço, telefonia e varejo caíram de 26% em 2011 para 18% em 2012, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraudes, divulgado ontem. A retração na procura por crédito e o crescimento de registros de tentativas de golpes na área de serviços e telefonia, por exemplo, é o que contribuiu para a queda dos registros no setor bancário.

Entretanto, quando são levados em conta todas as áreas, as tentativas de golpe contra o consumidor cresceram 9,18%, em 2012, na comparação com o ano anterior. Os registros subiram de 1,96 milhão, entre janeiro e dezembro, para 2,14 milhões no mesmo período do ano passado. Segundo o levantamento, significa que um consumidor brasileiro é vítima de tentativa de fraude a cada 14,8 segundos. Os dados pessoais são usados por criminosos para conseguir crédito sem precisar honrar com os pagamentos ou fazer negócios, como comprar um carro, sob falsidade ideológica.

POR SETORES - Os setores de serviço (o que inclui seguradoras, corretoras, construtoras, imobiliárias, pacotes turísticos e salões de beleza) e telefonia lideram os registros das tentativas de golpes. O primeiro setor registrou 749.318 casos em 2012, o que significa 35% da fatia. Em 2011, era 34%. Em seguida aparece a telefonia, com 749.213 casos contabilizados representando parcela de 35% - era 26%. Varejo (10%) e outros setores (2%) aparecem no fim da lista.

Pesquisas da Serasa apontam que os consumidores que tiverem seus documentos roubados estão mais suscetíveis aos golpes. A instituição alerta que com a carteira de identidade ou um CPF nas mãos do golpista as possibilidades de fraudes dobram (veja arte acima).

Quem for vítima de roubo, perda ou extravio de documentos deve se cadastrar gratuitamente na base de dados de algum órgão de proteção ao crédito - a informação de que você não está com o seu documento ficará disponível para o comércio e bancos.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 118 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal