Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

22/01/2013 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PF desarticula quadrilha suspeita de aplicar golpes contra aposentados

Sete pessoas foram presas em quatro cidades; duas estavam em Brasília. Suspeitos alegavam ser até desembargadores para cobrar vítimas, diz PF.

A Polícia Federal desarticulou nesta terça-feira (22) uma quadrilha suspeita de aplicar golpes contra servidores públicos federais aposentados. Até a publicação desta reportagem, a operação Bloqueio havia prendido sete pessoas, duas em Brasília, uma em Belo Horizonte, duas em Parauapebas (PA) e duas em São Luís (MA).

A maioria das vítimas é do Rio de Janeiro, conta a delegada Fernanda Costa de Oliveira. Além dos sete mandados de prisão temporária, a Justiça também concedeu três mandados de busca e apreensão, todos no DF.

Segundo a assessoria da Polícia Federal no DF, os suspeitos se apresentavam como funcionários do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), desembargadores, juízes, procuradores e advogados para solicitar depósitos de valores que corresponderiam a custas judiciais ou honorários advocatícios relacionados a processos que beneficiariam as vítimas.

A investigação da Polícia Federal foi iniciada há cerca de um ano e meio por meio de uma requisição do Conselho Nacional de Justiça, que recebeu mais de cem denúncias envolvendo os golpistas. O conselheiro e ouvidor do Conselho Nacional de Justiça, Wellington Saraiva, disse ao G1 que a ouvidoria foi procurada por 116 pessoas que relataram ter recebido dois tipos de propostas dos golpistas.

Segundo o conselheiro, uma das propostas era para a pessoa pagar um valor para acelerar os processos. Na outra, quando o cidadão tinha um valor a receber em um processo, o golpista oferecia uma proposta para fazer o fechamento do acordo.

Ainda conforme a PF, para realizar a fraude o grupo tinha dados pessoais das vítimas, como RG, CPF, telefone e endereço. "Muitas das vítimas nem tinham causa na Justiça, mas os golpistas apresentavam dados qualitativos que faziam com que elas pensassem que os processos eram verdadeiros", explica a delegada responsável pelo caso.

Os depósitos solicitados variavam de R$ 50 mil a R$ 100 mil. Em um dos casos, conta Fernanda Costa de Oliveira, um servidor aposentado de 91 anos pagou R$ 98 mil à quadrilha.

A Polícia Federal investiga agora como os estelionatários tiveram acesso aos dados das vítimas. Ainda não se sabe se houve apoio de algum servidor público ou se as informações foram roubadas por um hacker, por exemplo.

A orientação do ouvidor do CNJ é que nenhuma pessoa aceite efetuar pagamento para uma pessoa que se identifique como juiz ou servidor do judiciário. O conselheiro disse que a expectativa do conselho é que os golpistas presos nesta terça sejam processados e condenados.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 96 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal