Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

25/01/2013 - Correio da Manhã Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Dólares falsos em burla milionária

Por: Tânia Laranjo

Construtor civil adiantou 280 mil euros com promessas de receber meio milhão.

Um nigeriano, com passaporte do Uruguai, prometia uma fortuna ao construtor civil de Aveiro. Garantia ter meio milhão de euros para investir no nosso país, mas precisava de ajuda. Os ‘seus' dólares vinham da terra natal, mas estavam manchados com uma tinta preta, porque só assim passariam no aeroporto sem serem detetados. Empresário e burlão falaram durante meses, acertaram todos os pormenores da transferência de dinheiro, e o construtor acabou por adiantar ‘algum' dinheiro para conseguir desbloquear o negócio. Passou para a mão do nigeriano 280 mil euros, e agora está sem nada. Tudo não passava de uma burla.

O esquema - já conhecido das autoridades e há vários anos utilizado - é conhecido exatamente pela burla dos dólares negros. As notas são pintadas de preto, e o burlão mostra alguns exemplares à sua vítima. Com recurso a um produto químico, limpa as notas e aquelas podem imediatamente circular. Mas as restantes, que estão no interior da mala, não passam de papéis manchados e sem valor.

Neste caso, o burlão, de 29 anos - que fez pelo menos duas vítimas em Portugal com este esquema -, é um nigeriano já com cadastro por tráfico de divisas. Preso pela PJ de Aveiro, foi ouvido por um juiz e já está em prisão preventiva.

No caso do empresário de Aveiro - a segunda vítima será de Lisboa, mas a Polícia Judiciária ainda está a recolher mais elementos dessa ocorrência -, o mesmo chegou a contrair empréstimos bancários e a hipotecar a casa para arranjar dinheiro para comprar a solução química "mágica". Desde abril que negociava com o nigeriano e no total entregou-lhe 280 mil euros.

Ficou sem nada, está com graves dificuldades financeiras. As autoridades já não conseguiram encontrar o rasto da fortuna.

CARTAS DA NIGÉRIA DA ERA DIGITAL

A primeira fraude deste tipo remonta aos anos 80. Na altura, eram as chamadas ‘cartas da Nigéria', em que a vítima recebia uma carta, por correio ou fax, supostamente enviada por algum alto funcionário público da Nigéria. O remetente propunha ao destinatário entrar como parceiro numa operação de desvio de dinheiro, que seria obtido através de falsas transações. Depois do primeiro contacto telefónico, a vítima recebia dezenas de falsos documentos, cheios de carimbos e assinaturas, que supostamente comprovavam a quase transferência do dinheiro. Porém, antes de tal acontecer, o mesmo funcionário pedia uma verba elevada para subornar outro funcionário ou pagar despesas. Depois disso, desaparecia.

MULHER PENSOU QUE IA RECEBER 50 MIL MILHÕES

Em 2009, uma mulher apresentou num banco português um contrato para uma transferência interbancária no total de 50 mil milhões de dólares. O banco imediatamente deu o alerta às autoridades, que perceberam tratar-se de um esquema clássico envolvendo nigerianos. A mulher acreditava que ia receber tal quantia e já tinha adiantado alguns milhares de euros. Trocara correspondência com um suposto governante nigeriano que lhe pedira um adiantamento para conseguir enviar-lhe as divisas. Ficou sem as suas poupanças.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 188 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal