Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

22/11/2012 - InterJornal Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PC fecha cartório por fraudes

Operação interditou outra unidade em CG e dono está foragido; delegado diz que investigação continua.

A Polícia Civil interditou ontem um cartório que funcionava irregularmente no distrito de Catolé de Boa Vista, e fechou outro no bairro das Malvinas, em Campina Grande, que funcionava sem autorização judicial. Os dois eram administrados por Luis Carlos de Melo, conhecido como Carlinhos do Cartório, que estava impedido de atuar como tabelião pelo Tribunal de Justiça (TJ-PB), por fraudes cometidas anteriormente. Porém, foram encontrados documentos assinados por ele. Carlos está foragido. Durante a Operação Falsários, a PC encontrou documentos com autenticação fraudulenta. Ele poderá responder pelos crimes de falsidade material e ideológica. A pena prevista é de 20 anos de reclusão.

Luis Carlos estava sendo investigado há dois meses, depois que a Delegacia de Defraudações recebeu denúncias de transferências irregulares de imóveis e veículos. “Nossa investigação partiu dessas denúncias e já confirmamos que ele transferiu de forma fraudulenta um imóvel, localizado em João Pessoa e mais três veículos. As autenticações eram fraudadas. Além disso, os documentos também estavam assinados por ele, o que não poderia acontecer, já que o TJ o afastou da função”, disse o delegado Iasley Almeida. Os documentos assinados por ele poderão ser anulados. Ela revelou que a mulher de Luis Carlos, identificada por Eliene, estava respondendo pelo cartório como a tabeliã, mas será investigada.

Segundo o delegado, só o cartório de Catolé de Boa Vista tinha autorização para funcionar. “Mas, ele simplesmente abriu outro nas Malvinas, que servia de apoio para suas ações”, disse. A PC encontrou escrituras públicas e procurações com indício de fraude, além de cartões de autógrafo apenas assinados. “Isso é outro vestígio de fraude, já que no momento em que o cartão é assinado, o tabelião deve colocar a data e autenticar”, informou o delegado, acrescentando que a operação vai continuar nos próximos dias.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 146 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal