Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

23/10/2007 - O Globo Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

EUA não têm como explicar gasto de US$ 1,2 bilhão no Iraque, diz relatório


RIO - No mais novo golpe contra a guerra no Iraque, o relatório de uma agência oficial americana informou nesta terça-feira que o Departamento de Estado dos Estados Unidos não conseguiu prestar contas sobre a maior parte dos US$ 1,2 bilhões destinados a uma empresa privada para treinar a polícia iraquiana. Segundo o documento divulgado pelo escritório do Inspetor Geral Especial para a Reconstrução do Iraque (Sigir, na sigla em inglês), o governo "não tem a informação necessária para identificar o que a DynCorp ofereceu pelo contrato e como os recursos foram gastos".

- O ponto principal é que o Estado não pode prestar contas - disse à CNN Glenn D. Furbish, que participou da elaboração do relatório de 20 páginas.

A agência, que realizava uma auditoria na empresa, teve que suspender o trabalho após autoridades administrativas admitirem que não confiavam nos seus próprios registros. Entre os problemas identificados antes da suspensão da auditoria, estavam pagamentos duplicados e a compra de um aparelho de Raio-X nunca usado no valor de US$ 1,8 milhão.

O inspetor geral culpou o Escritório Internacional para Narcóticos e Aplicação da Lei (INL, na sigla em inglês, que é a agência do Departamento de Estado responsável pelos contratos em questão). "A falta de controle da INL criou um ambiente vulnerável ao desperdício e à fraude", diz o texto.

O relatório aumenta a polêmica sobre o uso de firmas de segurança privadas no Iraque. A discussão cresce desde que um tiroteio envolvendo agentes da empresa americana Blackwater matou 17 pessoas no dia 16 de setembro. Apenas a Secretaria de Defesa emprega ao menos 7.300 funcionários no Iraque. Autoridades americanas afirmam que precisam liberar seus soldados para outras tarefas.

O presidente dos EUA, George W. Bush, pediu na segunda-feira ao Congresso US$ 189,3 bilhões para as guerras do Iraque e do Afeganistão. A solicitação enfrenta o ceticismo de grande parte da bancada democrata, interessada em abreviar os conflitos.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 275 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal