Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

07/07/2012 - Midiamax Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Golpista tenta se passar por assessora de desembargador do TJMS em Campo Grande

Por: Eliane Souza


Presa outras duas vezes pelo uso de documento falso, Derli Chimenes Lopes foi presa no início da noite de sexta-feira, 6, em uma loja de materiais de construção, localizada na Avenida Bandeirantes, em Campo Grande. Com documento de identidade em nome da assessora de um desembargador. M.A.M.G, a golpista tentava efetuar uma compra no valor de R$ 1.800.

De acordo com um funcionário da loja, Derli comprou vários materiais de construção como 40 sacos de cimento, torneiras próprias para casas com sistema de aquecimento de água, louças para banheiro, duchas, entre outros itens. Sua intenção era comprar no crediário e para isto precisava da aprovação de uma financeira do estabelecimento.

Ainda segundo o funcionário, Derli mostrou uma carteira de identidade que mostrava indícios de adulteração ou ainda RG falso mesmo. Além disso, o nervosismo da 'cliente' em ter cadastro aprovado logo e o fato dela não ter dado o endereço de entrega e sim disse que ela mesma levaria, foram fatores que levantaram suspeitas.

Uma primeira tentativa de crédito foi negada pela financeira. Aí surgiu mais um ponto que ajudou a desmascarar a golpista: o tipo da compra feita aliada a outros fatores não batiam com o perfil que teria o nome apresentado na identidade.

A financeira acabou ligando para verdadeira assessora do desembargador do Tribunal de Justiça de MS, que negou que estava tentando comprar materiais de construção. A polícia civil foi acionada e prendeu Derli no local. Encaminhada para a delegacia, a golpista disse que foi um minuto de bobeira, mas lá foi descoberto que ela já tinha registros pelo mesmo motivo.

Quando Derli era ouvida, um funcionário da loja de materiais de construção foi até a 6ª DP, onde são conduzidas as investigações, e fez nova revelação. Quando Derli era trazida para o distrito policial, uma pessoa chegou à loja e disse que tinha ido buscar uma conhecida e uns materias que ela tinha comprado.

O atendente questionou quem era sua amiga, mas a pessoa não quis revelar. Saiu rapidamente do estabelecimento e foi embora. A placa do automóvel Gol, branco, foi anotada. Depois a polícia fez levantamento e descobriu que o veículo está em nome de um parente de Derli.

Documentos

Derli disse à reportagem que comprou na região central de Campo Grande o RG falso e negou qualquer envolvimento na confecção dele. Porém, a polícia suspeita que a golpista possa fazer parte de uma quadrilha. Familiares tem registros policiais pela mesma prática: uso de documento falso e também estelionato.

Com a golpista foi encontrado o RG falso, uma cópia de comprovante de residência em nome de M.A.M.G.

X da questão

Na carteira de Derli foi encontrado um documento, tipo ticket, que pode ser a chave de toda a ação de golpe: trata-se de um cupom promocional do Dia dos Namorados de 2011, emitido pelo Shopping Norte Sul Plaza. A verdadeira dona do cupom participou na promoção do condomínio de lojas na tentativa de ganhar um carro 0km.

Ela contou à polícia que foi abordada por uma pessoa que questionou se queria participar da promoção do Dia dos Namorados. Para isto bastava passar dados pessoais como RG, CPF, endereço, telefone para contato, e-mail, nome completo. O cupom foi preenchido e colocado em uma urna.

O delegado que conduz as investigações deste caso, Valmir Moura Fé, disse que a vítima ficou muito surpresa ao saber que a golpista tinha em seu poder o cupom do shoping Norte Sul Plaza com todos seus dados. “A pergunta é: o que este shopping faz com os descartes promocionais de seus clientes?”, questiona a autoridade policial.

O delegado faz um alerta aos consumidores na hora de participar deste tipo de promoção que os atendentes exigem toda esta documentação e também na hora de fazer cadastros em empresas que montam um verdadeiro raio x da vida do cliente.

“Além de conquistar o cliente, a empresa também precisa pensar em sua segurança. O que vai fazer com estes dados para evitar exposição e uma dor de cabeça como esta do caso que atendemos”, aconselha o delegado Valmir Moura Fé.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 104 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal