Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

20/12/2012 - SEGS Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Autofax lista golpes e fraudes mais comuns com cheques no comércio

Por: Jussara Rodrigues

Empresa explica como as ações são feitas e apresenta uma solução para isso.

Com as festas de fim de ano batendo à porta, as pessoas consomem mais, principalmente com a redução do IPI até 31 de dezembro, incentivo para os varejistas que estimulam o consumidor com melhores condições de pagamento, inclusive com o aceite de cheques. Infelizmente, nesse período é comum os comerciantes serem alvos de golpes e fraudes.

O comerciante sabe que é difícil identificar e inibir esse tipo de ação, por isso, a Autofax, empresa especializada em soluções tecnológicas que geram resultados, listou os principais golpes cometidos para ajudá-lo a evitar prejuízos causados por essas práticas:

- Golpe do marido: O golpista observa o cliente passar um cheque de valor baixo ao lojista e depois liga para a loja identificando-se como o marido do emitente alegando que há um problema com o saldo bancário e que vai trocar o cheque por dinheiro vivo. O comerciante aceita animado por achar que vai antecipar seu recebimento, e o falsário tem a oportunidade de alterar o valor na folha de cheque para saque ou depósito posterior em uma conta fria;

- Golpe do cheque pré-datado: O falsário aproveita para passar cheques pré-datados em lojas que aceitam pagamento parcelado. Um pouco antes do vencimento do primeiro cheque, o golpista liga para loja alegando que pode antecipar o pagamento e pede que o depósito seja feito imediatamente. O lojista o faz, mas o cheque volta por insuficiência de fundos. Então, o golpista liga novamente para a loja desculpando-se por ter cometido um lapso qualquer no controle de sua conta e solicita a reapresentação do cheque. Posteriormente o falsário pode processar o lojista por não ter cumprido o acordo comercial e por ter depositado o cheque antes da data combinada;

- Golpe do oportunista de ocasião: Quando as pessoas recebem talões de cheque do banco enviados pelo correio e “esquecem” de desbloqueá-los, o golpista vai até uma loja e passa o cheque bloqueado como se esse estivesse liberado. Caso o cheque volte, o estabelecimento terá que procurar seus direitos junto a um advogado;

- Golpe do telefone público: O golpista entra na loja, conversa com os vendedores, escolhe sua mercadoria e quando está no caixa efetuando a compra, decide pagar com cheque. Quando é solicitado o número de telefone para confirmação de dados, ele fornece um número de telefone público, no qual um cúmplice do golpe fornece todas as informações solicitadas, inclusive o endereço.

Para diminuir as fraudes no varejo, a Autofax indica que o comerciante reduza seu risco de sofrer golpes com ferramentas que disponibilizem Informações Comerciais para a consulta prévia sobre o consumidor no momento da compra.

De acordo com Laércio Soares, diretor executivo e sócio da Autofax, soluções como Informações Comerciais, um dos produtos disponibilizados pela empresa, permitem realizar consultas por meio da internet, terminais de consulta ou leitoras, a partir do CPF ou CNPJ, número do cheque ou pelo CMC-7. "Criamos uma solução completa que, além destes serviços mencionados, também oferece a possibilidade de confirmação de endereço, telefone, alerta sobre documentos roubados, extraviados ou furtados, com tipo do documento, data e motivo da ocorrência e informações sobre dívidas vencidas e não pagas pelo CPF/CNPJ”, completa Soares.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 119 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal