Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

23/11/2012 - Surgiu Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Ex-prefeita de Araguaína responderá por fraude de licitação

Por: Flávio Herculano

Nos oito anos, a locação do veículo foi praticada, de forma direta, por 39 vezes.

A ex-prefeita de Araguaína, Valderez Castelo Branco, responderá na Justiça pela contratação, sem processo licitatório, durante oito anos (2001 a 2008), de caminhão tipo basculante para o transporte de entulhos. A prática tornou-se alvo de Ação Civil Pública, proposta pelo Ministério Público do Estado (MPE) no último dia 21, na qual se alega ter a gestora praticado fracionamento irregular de despesas na intenção de burlar a necessidade de licitação.

Nos oito anos, a locação do veículo foi praticada, de forma direta, por 39 vezes, de modo que nunca atingisse o valor de R$ 8 mil, a partir do qual se torna obrigatória a realização de licitação. Os prejuízos causados ao erário estão estimados em R$ 173.783,31.

"A locação de veículos para transporte de entulhos é de extrema necessidade, exigindo-se do administrador público que trace um prognóstico, planeje as necessidades e licite as compras futuras. Ora, se a Prefeitura sabia, de antemão, que seria necessário a realização das referidas locações para suprir a demanda do município, era sua obrigação efetivar o procedimento licitatório", justifica, no texto da ACP, o titular da Promotoria do Patrimônio Público de Araguaína, Alzemiro Wilson Freitas.

Além da ex-prefeita, a ACP atinge também Wilhames Ribeiro Paz, proprietário do veículo, beneficiado com os contratos irregulares. Na ACP, é requerida a indisponibilidade dos bens de ambos, de modo a assegurar o ressarcimento integral dos danos causados ao erário, além do pagamento de multa e outras penalidades.

A irregularidade foi constatada em investigação feita pelo Centro de Apoio às Promotorias (Caop) do Patrimônio Público, órgão auxiliar do MPE.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 72 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal