Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

24/11/2012 - Correio da Manhã Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Face Oculta: Gestor da EDP admite fraudes

Por: Catarina Gomes Sousa

Justiça: Edite Estrela e Fernando Gomes também testemunharam ontem.

"Acho impossível manipular processos para favorecer empresas, mas ao longo da minha vida ainda não vi nada que não pudesse ser manipulado." António Almeida, antigo ‘chairman’ da EDP, respondeu desta forma às perguntas que ontem lhe foram colocadas sobre Paiva Nunes no Tribunal de Aveiro.

O também ex-administrador da empresa pública é acusado de ajudar a O2, de Manuel Godinho, em processos de adjudicação.

Durante o julgamento do caso ‘Face Oculta', António Almeida lamentou a situação mas admitiu que pudessem ocorrer fraudes, mesmo havendo conselhos de supervisão e embora todas as decisões tivessem de passar por António Mexia, presidente da EDP.

Apesar de ter sido arrolado pela defesa de Armando Vara - com quem referiu ter uma boa relação, principalmente profissional -, o antigo ‘chairman' da eléctrica nacional falou essencialmente sobre o ex-quadro da empresa e afirmou que todas as decisões foram tomadas por "um órgão colegial de acordo com os documentos cedidos por Paiva Nunes".

Ontem, foram ainda ouvidos Tomás Correia e Fernando Gomes. O presidente do Montepio afirmou ao colectivo de juízes que sempre viu Armando Vara como um "óptimo profissional". Já o presidente da Federação Portuguesa de Futebol referiu que foi através de Armando Vara que conseguiu financiar o pavilhão Dragão Caixa.

"NUNCA OUVI TAL COISA"

Arrolada por Armando Vara, Edite Estrela também testemunhou ontem no Tribunal de Aveiro. A eurodeputada socialista disse conhecer o ex-ministro desde a década de 60, tendo acompanhado todo o seu percurso pessoal e profissional. Edite Estrela acabou também por revelar que as alegadas pressões do ex-ministro Mário Lino sobre Ana Paula Vitorino nunca foram comentadas. Nem pelo ex-primeiro-ministro, José Sócrates. "Tenho grande proximidade com Sócrates, mas nunca ouvi tal coisa", disse.

Questionada sobre a seriedade da ex-secretária de Estado, que garante ter sido pressionada pelo antigo ministro das Obras Públicas, Edite Estrela atestou que aquela "não mente", dizendo o mesmo, porém, de Lino.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 91 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal