Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

13/12/2012 - G1 / AFP Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Chefe da diplomacia de Israel é indiciado por abuso de confiança

Acusações ao direitista Avigdor Lieberman remontam a período 2001-08. Ele negou acusações e afirmou que não vai renunciar.

O ministro israelense das Relações Exteriores, Avigdor Lieberman, foi indiciado por abuso de confiança e fraude em um dos casos de corrupção pelos quais estava sendo investigado, informaram nesta quinta-feira (13) fontes judiciais.

Por outro lado, a principal acusação que pesava sobre Lieberman, sobre financiamento ilegal das campanhas eleitorais com utilização de empresas de fachada, foi arquivada, segundo um comunicado do procurador-geral Yehuda Weinstein.

"Depois de ter examinado o processo, cheguei à conclusão de que não há provas suficientes para acusá-lo no primeiro caso e decidi fechar o caso", explicou Weinstein em um comunicado.

Nesse processo, Lieberman, líder do partido ultra-nacionalista Israel Beiteinu, corria o risco de ser acusado oficialmente de "lavagem de dinheiro, suborno de testemunhas, abuso de confiança e fraudes", acusações pelas quais poderia ser condenado a mais de dez anos de prisão.

Os fatos envolvendo "vários milhões" de dólares remontam ao período 2001-2008 quando Lieberman era deputado e ficava a cargo de uma série de pastas ministeriais (Infraestrutura Nacional, Transportes, Assuntos Estratégicos).

Weinstein indiciou o ministro populista por "abuso de confiança e fraude" por ter promovido o ex-embaixador israelense em Belarus, Zeev Ben Arieh, que lhe havia fornecido informações confidenciais sobre uma investigação da polícia contra o chanceler nesse país a pedido da justiça israelense.

Lieberman voltou a negar as acusações nesta quinta-feira (13) e disse que não tem de renunciar.

O analista jurídico da rádio pública, Moshé Negbi, considerou que Lieberman deveria renunciar, mas o procurador-geral não deu de recomendações a respeito dessa questão.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 94 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal