Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

10/12/2012 - Revista Pesquisa Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

A fraude e suas ondas de choque


Quando um artigo científico é retratado, ou seja, desqualificado pela revista que o publicou devido à descoberta de erros ou fraudes, o impacto pode espalhar-se por toda a comunidade de pesquisadores que estuda temas correlatos ao do paper proscrito. A constatação foi feita com base na análise de 1.104 retratações de artigos que haviam sido divulgados na base de dados PubMed.

Segundo o blog de notícias da revista Nature, um estudo publicado pelo National Bureau of Economic Research selecionou artigos sobre temas similares aos papers retratados, mas escritos por outros autores. Constatou-se que, após a retratação, caíram em 5,7% as citações dos artigos correlatos, em comparação com o que aconteceu com uma seleção de artigos não relacionados, usada como grupo de controle. Mais impressionante ainda foi o efeito no financiamento de pesquisas relacionadas aos artigos suspensos. Como o PubMed monitora os investimentos dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH) nas pesquisas que originaram os artigos, foi possível constatar que o financiamento a estudos correlatos caiu entre 50% e 73% após as retratações. “O impacto no financiamento foi bastante significativo”, diz o economista Pierre Azoulay, da Sloan School of Management do Massachusetts Institute of Technology (MIT), autor principal do estudo. Azoulay e seus colegas acreditam que há duas explicações para o efeito-cascata. Ou os cientistas perceberam que o campo de conhecimento é mais limitado do que parecia, ou então eles decidiram tomar distância da área com receio de serem associados à polêmica. A segunda hipótese parece mais provável, uma vez que o efeito é mais destacado quando o motivo da retratação foi vinculado à má conduta, e menos significativo quando se tratou de um erro não proposital. Um exemplo citado pelo estudo é o do sul-coreano Woo Suk-Hwang, que em 2005 anunciou num artigo publicado na revista Science o sucesso na clonagem de embriões humanos para obtenção de células-tronco (ver Pesquisa FAPESP nº 120). Como é natural, muitos pesquisadores tentaram reproduzir o experimento que, na verdade, era fraudulento. Mas, depois que o artigo foi retratado, o governo sul-coreano cortou à metade os investimentos na pesquisa de células-tronco embrionárias e muitos pesquisadores abandonaram esse campo. Uma solução para evitar prejuízos, diz Azoulay, é desenvolver um sistema de codificação para retratações, de modo a tornar transparente o motivo da desqualificação do artigo. Ele reconhece que os editores não devem gostar da sugestão, pois seriam forçados a contar claramente o que aconteceu com o artigo removido.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 158 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal