Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

03/12/2012 - Surgiu Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

MPF/TO e Polícia Federal deflagram operação de combate à lavagem de dinheiro oriundo do tráfico de drogas

Operação Turuna será realizada em Araguaína e cumpre mandados de busca e apreensão em empresas que lavavam.

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal no Tocantins realizam, na manhã desta segunda-feira, 3, a Operação Turuna, que tem por objetivo combater uma organização criminosa especializada na lavagem de dinheiro proveniente do tráfico internacional de drogas.

Cinquenta policiais federais dos estados do Tocantins, Maranhão e Pará cumprem oito mandados de busca e apreensão e ordens judiciais de sequestro de bens em Araguaína e cidades da região do Bico do Papagaio e sul do Pará. A Procuradoria da República no Município de Araguaína e região participa tanto da operação quanto das oitivas com os envolvidos, que devem comparecer à Delegacia da Polícia Federal em Araguaína para serem ouvidos na terça-feira, 4.

A Operação Turuna tem relação com as operações Diamante e Pérola, deflagradas pelo MPF e Polícia Federal nos anos de 2002 e 2009. As operações tiveram como alvos Leonardo Dias Mendonça e Emílio Teixeira Campos, traficantes que atualmente se encontram presos.

Os alvos da Operação Turuna vem administrando recursos financeiros e patrimônio adquiridos com dinheiro oriundo de atividades criminosas. Para lavar o dinheiro, uma extensa rede de postos de combustível em Araguaína se utilizava do esquema denominado transbordo, em que a bomba de combustível é colocada diretamente no local de entrada do produto do tanque subterrâneo fazendo com que seja registrada a saída do combustível sem nenhuma venda efetuada. Além do transbordo, outras técnicas de lavagem de dinheiro foram utilizadas.

A Operação Turuna teve início com a investigação de lavagem de dinheiro do tráfico, mas existem indícios de outros crimes como de formação de quadrilha, falsidade ideológica e sonegação fiscal, já que o dinheiro, uma vez lavado pelo esquema, não era declarado à Receita Federal. Também foram constatados indícios de formação de cartel para imposição do preço dos combustíveis vendidos em Araguaína.

Coletiva

Após o cumprimento dos mandados, mais informações sobre a Operação Turuna serão prestadas à imprensa em uma entrevista coletiva a ser realizada na sede da Delegacia de Polícia Federal de Araguaína com a presença do Procurador da República no município de Araguaína e região e do Superintendente da Polícia Federal no Tocantins, a partir das 15 horas de segunda-feira, 3.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 92 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal