Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

05/12/2012 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Advogados suspeitos de fraudes no INSS são presos em operação da PF

Eles estão entre as nove pessoas com mandados de prisão expedidos. Grupo intermediaria benefícios de pensão por morte na região de Campinas.

A Polícia Federal (PF) de Campinas (SP) cumpre desde a madrugada desta quarta-feira (5) mandados de busca e apreensão, além de mandados de prisão, contra advogados e contadores na operação El Cid 2, no combate a fraudes no sistema previdenciário. O grupo é suspeito de integrarem uma organização criminosa que intermediava, de forma irregular, benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de pensão por morte em Itatiba (SP) e Bragança Paulista (SP).

Desde a madrugada, estão sendo cumpridos 17 mandados de busca e apreensão, quatro de prisão preventiva e outros cinco de prisão temporária, expedidos pela 1ª Vara Federal de Campinas, com o apoio do Ministério da Previdência Social e Ministério Público Federal (MPF). De acordo com Edson Carneiro Junior, membro da Comissão de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que acompanhou os trabalhos, dois advogados foram presos em Itatiba por colaborarem com o esquema.

As investigações da Assessoria de Pesquisa Estratégica e Gerenciamento de Riscos (APEGR), na área de Campinas, começaram em 2010 e apontaram que fraudes ocorriam desde 2003, causando prejuízo de mais de 4,7 milhões aos cofres públicos, que pode ser projetado, estimativamente, de acordo com a expectativa de vida do IBGE de 2012, ao montante de R$ 22,8 milhões.

Os intermediadores, entre eles advogados e contadores, usavam chave/senha da conectividade social para fazerem a inclusão nos sistemas da Previdência Social, de dados ideologicamente falsos com empresas desativadas, gerando vínculos empregatícios que tinham por objetivo a percepção imediata ou futura de benefícios previdenciários, tanto na via administrativa quanto na via judicial, induzindo a erro os servidores do INSS e do Poder Judiciário.

A quadrilha falsificava atestados médicos, carteiras de trabalho, carimbos de empresas que já não existem há muitos anos para recebimentos de benefícios, além de guias de recolhimento previdenciário e fiscal do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para comprovar tempo de aposentadoria.

O encaminhamento desses dados se dava por meio de GFIP entregue em disquete ou GFIPWeb, enviada pela Internet. Os autores dos delitos investigados podem ser indiciados por estelionato qualificado contra a Previdência Social, formação de quadrilha ou bando, falsidade material, falsidade ideológica, uso de documento falso e fraude processual. As pessoas presas estão sendo levadas para a Delegacia da Polícia Federal em Campinas. O balanço do número de mandados cumpridos ainda não foi divulgado.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 201 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal