Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

25/11/2012 - Diário do Grande ABC Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Páginas de bancos são as mais utilizadas por golpistas

Por: Pedro Souza


As técnicas fraudulentas mais utilizadas por golpistas para roubar as senhas e credenciais dos clientes bancários, pela internet, são o pharming e o phishing. Os nomes são estranhos, mas a função é simples, criar uma página semelhante à da instituição financeira para roubar as informações digitadas.

Segundo o diretor setorial de Prevenção a Fraudes da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), Marcelo Câmara, cabe ao cliente se prevenir, tendo em vista que as páginas falsas são ativadas, geralmente, por programas espiões e maliciosos instalados nos computadores dos clientes.

"Os criminosos conseguem acesso pelo meio menos protegido, no caso o cliente", destacou Câmara, lembrando que o setor bancário brasileiro investe, ao ano, cerca de R$ 20 bilhões em informática, valor no qual estão incluídos os processos de segurança.

Para praticar o pharming e o phishing, os criminosos tentam de tudo para instalar os programas maliciosos nos computadores dos clientes. Entre as técnicas mais conhecidas estão os e-mails que solicitam que o usuário clique em algum link.

"Nunca clique em algo de desconhecidos, ou em mensagens que despertem desconfiança sobre a veracidade. Basta um clique em algum link errado e o software malicioso se instala no computador", explica Câmara.

Mensagens instantâneas, correspondências por redes sociais ou ícones falsos em sites também podem esconder links que são entrada para os programas fraudulentos.

Câmara orienta que o cliente bancário, em primeiro lugar, deixe sempre atualizado o navegador e o anti-vírus. Mas destaca que os criminosos, com muito conhecimento em informática, também atualizam suas armas. "Nesse caso é sempre interessante instalar o programa de proteção que os bancos oferecem em seus sites." Ele explicou que mesmo com toda a proteção, os fraudadores ainda conseguem ultrapassar as barreiras. E cabe ao cliente prestar atenção em todos os elementos da página do seu banco, pois é comum que as páginas falsas tenham algo faltando ou diferente da original e erros de português. "Se desconfiar, ligue para o banco e confirme se a página que está acessando é a verdadeira."

Os bancos também monitoram todas as transações e emitem alertas em casos que saem da rotina dos clientes. Esses avisos podem ser por bloqueio da transação, pedido de outra informação pessoal do cliente ou ligação para a confirmação da operação.

Segundo Câmara, é comum que os bancos realizem o ressarcimento aos clientes que caíram nos golpes. "A menos que tenha a desconfiança de auto-fraude. Neste casos, o banco só libera o dinheiro se provar que não é uma auto-fraude."

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 149 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal