Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

23/11/2012 - Portal Exame Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Investidor que previu enrosco na HP detona Vale e Petrobras

Por: Marcela Ayres

Para Jim Chanos, empresas brasileiras nunca alcançarão um “retorno econômico puro” em função da excessiva interferência do governo nos seus negócios.

São Paulo - Meses antes da HP divulgar um prejuízo de 6,85 bilhões de dólares, ancorado sobretudo em irregularidades contábeis associadas a uma aquisição do passado, um megainvestidor já chamava a atenção para o que seria "a última armadilha da empresa para seus investidores", criticando o modelo de compras em série adotado pela companhia. Agora, o mesmo Jim Chanos, fundador da empresa de investimentos Kynikos Associates, mira sua metralhadora giratória para duas gigantes brasileiras: a Petrobras e a Vale.

Durante a Sohn Conference, realizada ontem em Londres, Chanos afirmou que a gestão das duas empresas estaria sendo afetada por um "capitalismo de estado sufocante".

Ambas, na sua visão, seriam usadas para apoiar os objetivos políticos do governo, fazendo com que seu potencial de lucro nunca viesse inteiramente à luz. "As pessoas temiam que Lula fosse socialista. Bem, Dilma é uma socialista", disse, durante o evento.

Chanos criticou a expansão da Vale em um momento de desaceleração na China. Para ele, a empresa é excessivamente dependente do apetite chinês por aço, sendo que o país está construindo suas próprias plantas nesse momento. "A demanda está prestes a cair", pontuou.

Em evento realizado essa semana em São Paulo, a própria Vale admitiu que a procura deve crescer na casa dos 3% ao ano, se mantendo abaixo do PIB chinês pela próxima década. A mineradora reforçou, no entanto, que o movimento ainda seria "bom" para a Vale.

Petróleo

Em relação à Petrobras, o americano Jim Chanos chamou a atenção para os pesados investimentos feitos em campos off-shore. Apesar de viver uma fase de gastos acentuados, a empresa não repassa preços completos de combustível ao consumidor, adotando um "modelo de negócio mal executado", nas palavras do investidor.

A Petrobras precisa importar gasolina para suprir a aquecida demanda brasileira, embora não repasse esses valores na íntegra para não contribuir com a escalada da inflação. Nos cálculos do Bank of America, a prática deve trazer para a empresa impactos estimados em 4 a 6 bilhões de dólares no ano que vem, a menos que a política de preços seja revista.

Ontem, a presidente da Petrobras, Graça Foster, afirmou que o plano de negócio da estatal prevê um aumento de 15% na gasolina até 2013, mas que não há urgência na implementação da medida.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 119 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal