Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

12/11/2012 - Jornal do Povo de Três Lagoas / UOL Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Justiça aceita denúncia por fraude de mais R$ 30 milhões no programa do seguro-desemprego


A Justiça Federal já recebeu a denúncia protocolada pelo Ministério Público de São Paulo contra uma organização criminosa suspeita de fraudar o Programa do Seguro-Desemprego em mais de R$ 30 milhões. O esquema criminoso foi desarticulado na última quinta-feira, 8 de novembro, quando a Polícia Federal realizou a Operação Chakal, que resultou na prisão de dois dos líderes do grupo, além do cumprimento de 15 mandados de busca e apreensão.

A Operação Chakal realizada pela Polícia Federal, contou com apoio do MPF e do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), cumpriu dois mandados de prisão em Uberlândia, no Estado de Minas Gerais, e 15 mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Ribeirão Preto e Jaboticabal, no Estado de São Paulo, Catalão, no Estado de Goiás, e Gurupi, no Tocantins. Além de documentos das empresas suspeitas de fraude, foram apreendidos também documentos pessoais falsos, computadores e quatro veículos.

Normalmente, a denúncia é oferecida após a realização da operação e permite a reunião de provas contra os acusados. Nesse caso, no entanto, as investigações já vinham ocorrendo há um ano e o oferecimento da denúncia antes da deflagração da operação subsidiou a decisão da Justiça Federal em decretar a prisão preventiva dos acusados. A ação corre na 9ª Vara Criminal, em segredo de justiça.

Em outubro de 2011, o MTE noticiou a suspeita de que empresas estariam declarando falsamente a contratação e demissão de empregados com o fim de requerer o seguro-desemprego. As investigações identificaram a existência de mais de 280 “empresas de fachada”. No esquema, tanto os sócios das empresas como os requerentes do seguro-desemprego eram falsos. As fraudes eram realizadas sempre em grande escala e os benefícios eram solicitados em diversas cidades.

Os acusados foram denunciados pelos crimes de estelionato e formação de quadrilha. As investigações continuam para apuração de novos crimes de estelionato, falsidade documental, corrupção e lavagem de capitais.

A operação foi batizada de Chakal porque este era um pseudônimo utilizado pela organização criminosa em diversos cadastros efetuados em órgãos federais.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 72 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal