Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

08/11/2012 - Jornal A Voz da Cidade Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PM apreende documentos falsos e detém suspeito


RESENDE

Policiais do 37º Batalhão de Polícia Militar prenderam um homem, de 40 anos, sob suspeita de falsidade ideológica na terça-feira à tarde. A prisão foi efetuada pelo terceiro-sargento Leonardo Braz e o cabo Heidaimar, do Setor Charlie/Delta, na Rua dos Eucaliptos, no bairro Cidade Alegria.

Conforme o registro de ocorrência feito na 89ª Delegacia Legal de Resende, por volta de meio-dia, os policiais militares receberam a informação, através do Disque-denúncia – (24) 3360 0112, de que um homem, de 40 anos, estaria na posse de documentos falsos e entorpecentes em sua residência localizada no endereço citado. Por volta de 15h20min, a PM obteve êxito em encontrar o suspeito nas imediações de sua casa. Ao tomar conhecimento sobre o teor da denúncia, o homem teria confirmado à polícia que possuía a documentação falsificada, mas negara a existência de drogas.

Depois, os policiais se deslocaram até o imóvel do suposto envolvido, onde realizaram buscas. Durante a revista, foram apreendidos: um CPF (Cadastro de Pessoa Física); carteira de trabalho; máquina de cartão de crédito da Redecard; dois contratos de abertura de conta corrente para pessoas física e jurídica, sendo um deles da agência do Banco do Brasil, em Piraí, e o outro do banco Itaú, em Pinheiral; dois comprovantes de recebimento de cartão do Banco Itaú e Seguro; Certificado da Condição de Microempreendedor Individual; termo de adesão e contratação de serviços SMP e nota fiscal da operadora Vivo; declaração de ajuste anual de imposto de renda exercício 2012 – ano calendário 2011; certidão da Justiça Eleitoral; e um comprovante de solicitação de empréstimo do Banco do Brasil. Todos os documentos estavam no nome de outro homem. No entanto, a carteira de trabalho estava com a foto do suspeito, de 40 anos. Ainda foi arrecadada uma cópia da carteira de identidade de outra pessoa. Não foi localizada nenhuma droga na localidade.

O suspeito foi levado para a delegacia, onde foi indiciado com base no artigo 299 do Código Penal (falsidade ideológica). Após ser ouvido, ele foi solto. O homem, de 40, responderá pelo crime em liberdade.

VERSÃO DO SUSPEITO

Em depoimento, o suposto envolvido confirmou que o material apreendido foi encontrado em uma caixa dentro da mochila, que estava em seu quarto. Segundo relatos do homem, de 40 anos, inicialmente, os documentos foram produzidos a partir da criação de um nome fictício e uma data de nascimento. Depois, a situação fora apresentada a um morador de Volta Redonda. Ainda de acordo com as declarações do suspeito, ele se encontrava com o morador em um barzinho da cidade.

Depois de duas horas de um encontro, o suspeito teria recebido a cópia de uma certidão de nascimento confeccionada em computador, através do homem residente em Volta Redonda. A cópia possuía nome e data de nascimento conforme a escolha do indiciado. A partir da certidão, o homem, de 40, conseguira tirar a carteira de trabalho, o título de eleitor e, posteriormente, o CPF. Com os documentos em mãos, ele também teria ido a uma Lan House e adquirido o certificado de microempreendedor pela internet. Mais tarde, ele abrira contas bancárias na região. Ainda comprara um celular da Vivo e preparara uma declaração de imposto de renda, que não fora enviada.

O suspeito esclareceu na DP, que, ao abrir a conta corrente no Itaú, teve que fazer um seguro e aceitar uma máquina de cartão de crédito. Ele explicou que resolveu abrir uma microempresa destinada à venda de perfumes, tendo recebido a quantia de R$ 1 mil do Banco do Brasil, como pessoa física, para iniciar seu negócio. Porém, ele não comprara nada para dar continuidade ao projeto. Conforme relatos, ele decidiu solicitar R$ 3 mil junto ao Banco do Brasil, com o intuito de adquirir 100 perfumes. Contudo, o suposto empreendedor teria conseguido apenas R$ 1 mil, o que frustrara seu sonho. Relatou na unidade, que acabou gastando a verba em compras domésticas.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 330 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal