Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

21/06/2012 - Tribuna Hoje / Folha Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Pesquisador da Microsoft diz que golpe virtual é patético de propósito

Obviedade de textos de e-mails maliciosos tem o objetivo de filtrar os desconfiados.

No artigo científico intitulado "por que o estelionatário virtual (scammer) nigeriano alega ser da Nigéria?", o pesquisador da Microsoft Cormac Herley mostra que a obviedade de textos de e-mails maliciosos tem um objetivo: filtrar os desconfiados.

Tais "falsos positivos", como chama Herley, são pessoas que, a princípio, mordem a isca dos e-mails dos golpistas, mas que não se mostram lucrativas posteriormente.

A ideia dos estelionatários, portanto, é criar mensagens que atraiam somente "ludibriados rentáveis" para poupar tempo e dinheiro.

"Enviando um e-mail que repele todos, salvo somente os mais crédulos, os criminosos agem para minimizar a razão existente entre positivos falsos e verdadeiros", escreve Herley no artigo.

GOLPE NIGERIANO

A pesquisa trata basicamente dos "golpes nigerianos" (Nigerian scam), amplamente conhecidos entre especialistas de segurança digital e que costumam prometer uma parte do dinheiro de um suposto magnata -muitas vezes um príncipe- da Nigéria.

Em seguida, para obter os 5% ou 10% da alegada fortuna, são exigidas à vítima transferências de dinheiro que viabilizariam as transações.

Apesar de soar evidentemente falso, os golpes funcionam. Um "scammer" da Nigéria foi condenado a 12 anos de prisão no ano passado após arrancar US$ 1,3 milhão de suas vítimas, como mostra o site "Gizmodo".

Um banco de dados que cataloga mensagens fraudulentas, citado pela pesquisa de Herley, mostra que 51% de 419 e-mails de golpistas citam a Nigéria como sua origem. O país é seguido de África do Sul, Congo e Zimbábue.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 78 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal