Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

16/06/2012 - SIC Online / Lusa Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PSP substitui cartões profissionais por guias de "fácil falsificação", avisa associação

A associação de agentes da segurança privada alertou hoje para "um descontrolo total" da PSP na entrada de novos elementos para o setor, salientando que a polícia está a emitir guias de "fácil falsificação" em vez dos cartões profissionais.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Associação Nacional de Agentes da Segurança Privada (ANASP) afirmou que há três anos que a PSP não emite cartões profissionais de vigilante de segurança privado, estando a substitui-los por guias. "Só que esses guias dão azo a falsificações, fraudes e a formações que não são válidas", disse Ricardo Vieira, adiantando que "há um descontrolo total por parte da PSP" na entrada de novos elementos para o setor.

O Departamento de Segurança Privada da PSP é o serviço responsável pela emissão de alvarás, licenças e autorizações de entidades de segurança privada, bem como de cartões profissionais que habilitam o exercício profissional da atividade. Segundo Ricardo Vieira, há redes organizadas que se dedicam à falsificação de guias, tendo a ANASP já participado esses casos à PSP.

O presidente da ANASP denunciou também outras práticas ilegais no sector, como centenas de empresas com seguranças privados a recibos verdes e inúmeros elementos a exercer a atividade com cadastro criminal, que apresentam registos criminais falsificados.

Ricardo Viera considerou que "há uma falta de capacidade fiscalizadora", que só pode ser ultrapassada com a criação de uma câmara de profissionais de segurança privada para que exista um "processo sério" de regulação e de controlo. Defendeu igualmente a criação de um código deontológico e de um estatuto profissional."A polícia, por muito que queira, nunca vai conseguir fiscalizar esta atividade de forma eficaz", sustentou, acrescentando que "não chega só fiscalizar", sendo também necessário a existência de mecanismos que "funcionem como bloqueio à proliferação de atividades criminosas no seio do setor".

De acordo com o presidente da ANASP, a atividade de segurança privada está a crescer. Porém, a acompanhar este crescimento "não estão as medidas adequadas no sentido de prevenir práticas criminosas e ilícitas". "Admiro-me como não há medidas concretas e enérgicas para por cobro a isto, até porque sabemos que há pequenas empresas de segurança privada que não passam de gangs de malfeitores, de gangs de marginais organizados e, no entanto, têm alvará para exercer a atividade", realçou.

A agência Lusa contactou a direção nacional da PSP, mas até ao momento não obteve qualquer resposta. O ministro da Administração Interna convocou para terça-feira o Conselho de Segurança Privada, onde será apresentado o relatório de 2011 do setor.

Segundo dados divulgados à Lusa, a PSP realizou 7.472 ações de fiscalização ao setor da segurança privada em 2011, mais sete por cento em relação a 2010, e detetou 1.623 infrações, a maioria em estabelecimentos de diversão noturna.

O relatório apontam para a existência de 112 empresas licenciadas para o exercício da atividade, mais duas do que em 2010, e para 93 entidades formadoras da segurança privada, mais 23 do que no ano anterior. Em 2011, estavam registados 40.287 vigilantes ativos e perto de 18 mil inativos, que têm o cartão profissional dentro da validade, mas não estão a exercer a profissão em qualquer empresa.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 63 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal