Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

14/09/2012 - Monitor Mercantil Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Suspeita de fraude e venda fracassada

BC liquida Cruzeiro do Sul e Prosper.Bens dos controladores dos dois bancos foram bloqueados, também, devido a prejuízos.

O Banco Central (BC) decretou nesta sexta-feira a liquidação extrajudicial do Banco Cruzeiro do Sul, com sede na cidade de São Paulo, e do Banco Prosper, do Rio de Janeiro.

Do total de depósitos à vista e a prazo do Cruzeiro do Sul e do Prosper, cerca de 35% e de 60%, respectivamente, contam com garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Cruzeiro do Sul

O Cruzeiro do Sul estava em Regime de Administração Especial Temporária (Raet) desde 4 de junho de 2012 devido a suspeita de fraude, e as negociações para sua venda fracassaram. A instituição detém cerca de 0,25% dos ativos do sistema bancário e 0,35% dos depósitos.

A determinação do regime especial (intervenção e liquidação extrajudicial) ocorre depois que a fiscalização do BC verifica algum tipo de problema na instituição financeira, como ausência de liquidez (recursos disponíveis), desvio de dinheiro, descumprimento de normas ou não pagamento de obrigações.

Bloqueio de bens

Os bens dos controladores das duas instituições foram bloqueados porque a autoridade financeira suspeita de fraudes no Cruzeiro do Sul e por conta de sucessivos prejuízos no Prosper.

O Cruzeiro do Sul foi liquidado porque era preciso renegociar dívidas que envolveriam o perdão de 50% do saldo junto aos credores. Suas negociações na Bovespa foram imediatamente suspensas nesta sexta.

Inicialmente, o BC adotou a intervenção na instituição, com o afastamento da família Índio da Costa do controle do Cruzeiro do Sul, e a gestão passou a ser feita pelo FGC, como forma de proteger os depósitos dos clientes, e a agora foi decretada a liquidação extrajudicial.

Grupo

A decisão do BC abrange a controladora do Banco Cruzeiro do Sul, a Cruzeiro do Sul Holding Financeira S.A., e as empresas Cruzeiro do Sul S.A Corretora de Valores e Mercadorias; Cruzeiro do Sul S.A. DTVM e Cruzeiro do Sul S.A. Companhia Securitizadora de Créditos Financeiros. Essas empresas também estão submetidas ao Raet.

Até a intervenção pelo FGC, o Cruzeiro do Sul tinha patrimônio negativo em R$ 2,237 bilhões.

Prosper

De acordo com o BC, o Banco Prosper é instituição financeira que detém aproximadamente 0,01% dos ativos do sistema bancário e 0,01% dos depósitos.

De acordo com nota divulgada pelo BC, "a liquidação do Banco Prosper deve-se a sucessivos prejuízos que vinham expondo seus credores a risco anormal, a deficiência patrimonial e a descumprimento de normas aplicáveis ao sistema financeiro".

Em dezembro do ano passado, o Cruzeiro do Sul anunciou a compra de 88,7% do Prosper, mas a mudança de controle foi rejeitada pelo Banco Central.

Responsabilidades

"O Banco Central continuará tomando todas as medidas cabíveis para apurar as responsabilidades, nos termos de suas competências legais. O resultado das apurações poderá levar à aplicação de medidas punitivas de caráter administrativo e a comunicações às autoridades competentes, observadas as disposições legais aplicáveis", acrescenta o BC.

O Banco Central informou ainda que permanecem indisponíveis os bens dos controladores e dos ex-administradores do Banco Cruzeiro do Sul, assim como os bens do Banco Prosper.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 121 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal