Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

05/09/2012 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia prende novo suspeito de crime de estelionato em Belém

Comparsa de suspeito já está preso desde janeiro. Dupla aplicava golpes e chegou a se apropriar de pelo menos R$ 1 milhão.

Uma equipe de policiais da Divisão de Investigação e Operações Especiais (Dioe) prendeu na manhã desta quarta-feira (5), mais um suspeito de praticar crimes de estelionato e apropriação indevida de valores em dinheiro em Belém. Segundo a polícia, o suspeito está ligado ao crime que ficou conhecido como golpe do Consórcio Remaza. Ele está detido na sede da Dioe, onde presta depoimento ao diretor da divisão, delegado Neyvaldo Silva.

De acordo com a polícia, o parceiro do suspeito foi capturado em janeiro de 2012 e está preso. Segundo a equipe de investigadores, os dois homens são suspeitos de se apropriar de quantias em dinheiro, cujos valores estimados chegam a pelo menos R$ 1 milhão. Os policiais acreditam que o número de vítimas possa chegar a 100 pessoas.

A dupla atuava, de acordo com a Dioe, como funcionários do Consórcio Remaza Nova Terra, com sede no bairro de São Brás, e prometiam a clientes agilizar o consórcio para aquisição de veículos e imóveis em prazos de 30 até 60 dias para contemplar a pessoa interessada no bem. De acordo com denúncias, a polícia afirma que os suspeitos solicitavam às pessoas que pagassem um valor a título de lance inicial no consórcio.

O delegado Neyvaldo Silva afirma que algumas pessoas chegaram a pagar de R$ 10 mil até R$ 30 mil pelo imóvel ou veículo e que depois, ao procurarem a dupla, era pedido que aguardassem de 10 a 20 dias para contemplação do bem. Era o tempo suficiente para que os suspeitos pudessem desaparecer com os valores.

No final do primeiro semestre de 2011, época das denúncias, a própria gerência da empresa de consórcio registrou boletim de ocorrência na Seccional Urbana de São Brás sobre o caso.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 182 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal