Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

21/08/2012 - Fatima News / MidiaMax Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Herdeira da "Santa do Mel" é acusada de estelionato pelo Ministério Público


Conhecida entre os católicos como uma senhora bondosa, que abriu a sua residência para a visita de fiéis a Santa do Mel, Sônia Maria Diniz, 53 anos, pode ser na verdade uma estelionatária. Por parte do Ministério Público Estadual, ela está sendo denunciada como uma das principais ‘cabeças’ de uma quadrilha especializada em falsificação de documentos públicos.

A acusação existe por conta de ela querer se beneficiar com a transferência de bens do marido, que faleceu em maio de 2010, época que também teve início uma briga entre os herdeiros de José João Rezek, incluindo a ex-esposa e filhos. Sônia conviveu 21 anos ao lado da vítima.

Nos autos do inquérito policial n° 301/2011, relatado pela quinta vez em 23 de março de 2012, consta que ‘a denunciada falsificou assinatura do seu ex-amásio, transferindo bens para o seu nome, adulterando também selos do 4° Cartório de Notas e de Registro de Títulos e Documentos, além de fazer uso de carimbo falso, preencher dado inexistente e realizar por último uma assinatura falsa da escrevente para colocar uma autorização de transferência de veículo em seu nome’.

Para comprovar a fraude, foi realizada a perícia grafotécnica (que verifica os hábitos da escrita e a autenticidade ou a falsidade material de uma assinatura ou texto manuscrito). Além do estelionato, discute-se judicialmente se o processo de inventário do falecido também foi falsificado, uma vez que apresenta vários indícios de falsificação, de acordo com o MPE/MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul).

E, ao mesmo tempo em que Sônia cometia tais atos, segundo a Polícia Civil, o marido estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Proncor. A vítima deu entrada no dia 22 de abril de 2010 e permaneceu por 30 dias, até a morte no dia 22 de maio. Nesse período, ela ainda realizou empréstimos e saques indevidos na conta do falecido, de acordo com o inquérito policial.

Ao descobrir o fato, um dos filhos de José Rezek compareceu a polícia, gerando uma investigação policial na 1ª delegacia. Segundo a testemunha, dois dias antes da morte da vítima, Sônia compareceu ao banco Real Master, localizado na época na rua Dom Aquino, centro de Campo Grande e, usurpando a senha e o cartão do marido (que estava incapaz naquele momento, não possuía conta conjunta com a suspeita nem passou procurações a ela segundo o relato do filho da vítima), realizou um empréstimo no valor de R$ 40 mil e diversos saques da conta bancária, prejudicando assim o espólio (divisão da herança).

Indignada com as acusações, Sônia diz que, desde a morte do marido, seus enteados e parentes se afastaram, principalmente por medo de não receberem a herança.

“Meus enteados, que tanto conviviam bem comigo e sabiam que meu casamento era feliz, agora me acusam de roubo. Foi na frente dos médicos que meu marido me pediu para fazer um empréstimo e pagar dívidas que ele mesmo possuía. Não fazia nada sem falar com ele e não esperava de maneira alguma que ele ia morrer logo em seguida”, comenta Sônia.

Com relação ao carro, ela garante que a assinatura da transferência do veículo é de seu marido. “Já me chamaram mais de dez vezes para assinar na delegacia e fazer a comparação. Não só eu como minha filha e é claro que nossa escrita é muito diferente. Tudo isso é armação para me incriminar. Meu marido comprou carros para todos os filhos e um para nós utilizarmos, sempre falando que era nosso. Se um oficial de justiça quiser vir aqui, estou de portas abertas”, afirma Sônia ao Midiamax.

A casa onde reside a viúva recentemente foi reaberta aos visitantes da ‘Santa do Mel’

No dia 6 de maio deste ano, Sônia preparou a sua casa na rua Domingos Marques, para reabrir visitação à Santa do Mel, mas fechou novamente por conta do andamento do inventário. O imóvel também está na briga do inventário. A "reinauguração" aconteceu com missa e desde então recebe devotos da imagem de Nossa Senhora, que de acordo com a família, verte mel em forma de lágrimas.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 88 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal