Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

13/10/2007 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Corrupção é perdoável com arrependimento, diz bispo

Por: Daniel Castro


Líder da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) e dono da Rede Record, o bispo Edir Macedo Bezerra, 62, que tinha uma postura defensiva em relação à imprensa, concedeu entrevista à Folha por e-mail. Sua atitude "silenciosa" teve início em 1995, quando a Globo exibiu "Decadência" -minissérie que retratava um pastor corrupto, um ataque ao mais barulhento dos evangélicos.
Neste ano, para lembrar os 15 anos de sua prisão, sob a acusação de charlatanismo, curandeirismo e estelionato, Macedo resolveu dar as caras. Autorizou uma biografia e um documentário, a ser exibido amanhã pela Record. Há duas semanas, apareceu ao lado de Luiz Inácio Lula da Silva, na inauguração da Record News, o primeiro canal de notícias aberto (e gratuito) do país.
A biografia começa a chegar na segunda-feira às livrarias.
"O Bispo - A História Revelada de Edir Macedo" (editora Larousse) foi escrita por Douglas Tavolaro, diretor de jornalismo da Record, e por Christina Lemos, repórter da emissora. Em formato de reportagem, o livro sai com uma tiragem recorde de 700 mil exemplares (o dobro do mais novo "Harry Potter", por exemplo). Com 286 páginas, custa R$ 39,90.
O primeiro capítulo reconstitui a prisão em 1992. Para tanto, Macedo se dispôs a voltar ao distrito policial em que ficou detido durante 11 dias. No livro, ele explica porque "comemora" a prisão: os dias de cadeia representaram sofrimento mas também uma guinada de sua igreja. "Eu sabia que a prisão me traria enormes benefícios. Sabe por quê? Porque eu era a vítima, e a vítima sempre ganha. Nunca o algoz."
Macedo concordou em dar entrevista a um veículo que não fosse de seu conglomerado de comunicação (além da Record, seu grupo detém dezenas de emissoras de TV, rádio e jornais) sem restrições a assuntos.
A entrevista, porém, foi feita por e-mail, intermediada por executivos da Record e membros da igreja. De acordo com seus assessores, Macedo estava fora do país.
Na entrevista a seguir, Macedo explica porque defende o aborto, bandeira que levantou durante a visita do papa ao Brasil, em maio. Diz que aceitaria um filho homossexual e que é a favor do uso de embriões pela medicina. Fala pouco de suas atividades políticas e muito da crença de que um dia sua Record vencerá a Globo.



FOLHA - O número de evangélicos vem crescendo ano a ano no Brasil, já são 15% da população. A que o sr. atribui esse fenômeno?
EDIR MACEDO - O número de evangélicos cresce porque o Evangelho oferece muito além de religião. Oferece qualidade de vida e vida em abundância.
FOLHA - O sr. tem planos de ajudar a eleger um evangélico à Presidência já nos próximos pleitos? O senador Crivella será candidato à Presidência em 2010 ou 2014? O sr. nunca pensou em ser candidato?
MACEDO - Depende do evangélico. Não sei [sobre Crivella candidato]. Não [pensou em ser candidato].

FOLHA - Há 20 anos, o sr. imaginava que um dia faria aliança política com o PT, como ocorreu em 2006, em torno da reeleição de Lula?
MACEDO - Nunca fiz aliança política com alguém. Apenas apoiei as pessoas em que eu acreditei.

FOLHA - De zero a dez, que nota dá ao governo Lula?
MACEDO - Quem sou eu para julgar o presidente da República?

FOLHA - Alguns políticos então da base da Igreja Universal, como o bispo Rodrigues, foram atingidos em cheio pelos escândalos do primeiro mandato de Lula. A corrupção não é um pecado imperdoável?
MACEDO - Jesus ensina que o único pecado imperdoável é a blasfêmia contra o Espírito Santo. Para os demais, há perdão, se houver arrependimento.

FOLHA - Para o papa Bento 16, o problema fundamental do mundo contemporâneo é uma crise de valores, onde o homem tenta ocupar o lugar de Deus. O sr. concorda com essa afirmação? Por quê?
MACEDO - Em alguns casos, acredito que ele tenha razão. Porque alguns mortais têm pensado que estão acima do bem e do mal. Mas, depois de mortos, o máximo que lhes resta é uma placa na praça onde os cães fazem xixi.

FOLHA - Em sua biografia, o sr. defende o aborto. Atualmente, a Record e a Record News exibem campanha pelo aborto. Por quê?
MACEDO - Sou favorável à descriminalização do aborto por muitas razões. Porém, aí vão algumas das mais importantes:
1) Muitas mulheres têm perdido a vida em clínicas de fundo de quintal. Se o aborto fosse legalizado, elas não correriam risco de morte;
2) O que é menos doloroso: aborto ou ter crianças vivendo como camundongos nos lixões de nossas cidades, sem infância, sem saúde, sem escola, sem alimentação e sem qualquer perspectiva de um futuro melhor? E o que dizer das comissionadas pelos traficantes de drogas?
3) A quem interessa uma multidão de crianças sem pais, sem amor e sem ninguém?
4) O que os que são contra o aborto têm feito pelas crianças abandonadas?
5) Por que a resistência ao planejamento familiar? Acredito, sim, que o aborto diminuiria em muito a violência no Brasil, haja vista não haver uma política séria voltada para a criançada.

FOLHA - "Deus deu a vida e só Ele pode tirá-la", segundo a Bíblia. Não é contraditório um líder cristão defender o aborto?
MACEDO - A criança não vem pela vontade de Deus. A criança gerada de um estupro seria de Deus? Não do meu Deus! Ela simplesmente é gerada pela relação sexual e nada mais além disso. Deus deu a vida ao primeiro homem e à primeira mulher. Os demais foram gerados por estes.
O que a Bíblia ensina é que se alguém gerar cem filhos e viver muitos anos, até avançada idade, e se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto é mais feliz do que ele (Eclesiastes 6.3). Não acredito que algo, ainda informe, seja uma vida.

FOLHA - Qual seria sua reação se descobrisse que tem um filho homossexual?
MACEDO - Decepcionado. Mas não o rejeitaria de forma alguma. Tentaria ajudá-lo da melhor forma possível. Porque, se Deus respeita a livre opção de vida da criatura humana, por que não o faria eu?

FOLHA - O sr. é a favor do uso de embriões humanos pela medicina?
MACEDO - Sou a favor, sim.

FOLHA - Quanto a Igreja Universal investe por ano na Record? A emissora sobreviveria sem o dinheiro da igreja?
MACEDO - A Iurd é tão-somente uma cliente da Record, assim como a Igreja Católica é da Globo, da Cultura e tantas outras. A diferença é que a Iurd paga à Record e esta paga seus impostos ao governo. Eu creio que a Record sobrevive sem a Iurd.

FOLHA - O sr. acha mesmo possível a Record bater a Globo fazendo programação semelhante à da Globo?
MACEDO - O "Hoje Em Dia" copia o quê da Globo? E o "Tudo a Ver"? As novelas não são criações da Globo. Ela os copiou das mais antigas emissoras de TV e rádio. A antiga Rádio Nacional, Mayrink Veiga e outras mais tinham novelas e programas humorísticos. Portanto, dizer que copiamos a Globo é, no mínimo, falta de conhecimento histórico.
Quanto à possibilidade de bater a concorrente, basta olhar o passado. Quando compramos a Record, ela estava à beira da falência. Naquela época, você perguntaria da possibilidade de batermos o SBT? Quem diria que a Gol compraria a Varig? Portanto, eu creio muito na nossa capacidade de vencê-los.

FOLHA - O que quis dizer com "cutucar o fígado até ela cair", referindo-se à Globo?
MACEDO - Na luta contra Golias, Davi usou uma pedrinha. Numa luta de boxe, a desvantagem do menor pode tornar-se em vantagem. Nesse caso, a opção é ir batendo no fígado do maior.

FOLHA - O sr. tem ódio da Globo? Como classifica a cobertura que ela fez de sua prisão, em 1992, e a exibição da minissérie "Decadência"?
MACEDO - Eu não tenho ódio de ninguém, senão do diabo e seus espíritos. Há mais de três décadas que não assisto à Globo. Apenas recebo informações de terceiros do seu trabalho. Até porque não sou idiota, como julgou seu diretor de jornalismo William Bonner aos que o vêem.

FOLHA - Como um funcionário da Lotérica do Rio se tornou um milionário? O sr. seria rico como é se não fosse o líder da Igreja Universal?
MACEDO - Eu tinha dois anos na Lotérica do Rio quando tive um encontro com meu Senhor e Salvador Jesus Cristo. A partir de então, aprendi que a riqueza de um homem não consiste nos seus bens materiais. Nesse aspecto, chamar-me de milionário é, no mínimo, um insulto. Porque, como filho e parceiro do Deus Vivo, ninguém neste mundo pode se considerar mais rico do que eu. Pode até ser igual, mas não mais.
Quanto ao sucesso econômico a que você se refere, posso lhe garantir que até hoje ninguém contou meu dinheiro para me considerar assim. Mas, conforme o dito popular: fama de rico e valente não se desmente, sigo caminhando e colocando em prática a sabedoria, inspiração e coragem que vem do Alto e conquistando para a Sua exclusiva glória.

FOLHA - Como o sr. pagou a Record?
MACEDO - Tudo está devidamente declarado no Imposto de Renda.

FOLHA - O sr. recebe salário da igreja? Quanto?
MACEDO - Eu vivo de ajuda de custo da igreja e direitos autorais.

FOLHA - Por que o sr. não mora mais no Brasil?
MACEDO - Porque meu trabalho está além das fronteiras.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 362 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal