Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

16/08/2012 - Vermelho / The Economist Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Identidades falsas chegaram para ficar

A tecnologia e a globalização estão estimulando o comércio de documentos de identificação falsos.

Um pacote de papel para foto, folhas de plástico e cola em spray: soa como uma lista de coisas necessárias para uma aula de arte na escola, mas tratam-se de ingredientes para a fabricação de uma carteira de identidade falsa. Adicione uma pitada de conhecimento de Photoshop e torna-se possível ganhar US$ 1.500 por semana, de acordo com um ex-vendedor, um estudante de uma escola privada britânica, que costumava vender identidades falsas a seus colegas por US$ 40 a unidade.

O negócio é ainda mais lucrativo nos EUA – uma vez que a idade legal de consumo de álcool é 21 anos, a demanda é maior e os compradores têm mais dinheiro. Um ex-estudante afirma que conseguia vender identidades falsificadas por US$ 120.

O setor de documentos forjados está em franco desenvolvimento, particularmente no mundo anglófilo. Um estudo de 2009 observou estudantes universitários americanos e verificou que 17% dos estudantes do primeiro ano e 32% dos estudantes do último ano tinham uma identidade falsa. Hoje os números são ainda maiores, dizem especialistas.

O uso de identidades falsas também está se espalhando pelo mundo. A China não tem nenhum tabu a respeito do consumo de álcool por menores de idade, de modo que bares raramente inspecionam os documentos dos consumidores. Um lugar conhecido onde se pode adquirir uma identidade falsa é o portão leste da Universidade Renmin em Pequim. Os vendedores desta área afirmam conseguir faturar até US$ 16 mil por ano.

A tecnologia deu uma turbinada ao setor das identidades falsas. É mais fácil fazer boas cópias de qualidade com os programas e impressoras de hoje em dia. Os forjadores não precisam mais produzir um documento de cada vez: os equipamentos mais modernos permitem a produção em massa. E, já que os pedidos podem ser feitos pela internet, não é mais necessário que os fabricantes estejam próximos ou até mesmo no mesmo país que seus consumidores.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 138 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal