Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

11/10/2007 - O Globo Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Carlão do ecstasy já tinha passagens na Polícia por estelionato


RIO - Preso no início da semana como o maior traficante de ecstasy do Rio, Carlos Domingos Moreira Passo Júnior, o Carlão, de 36 anos, já havia cometido estelionato. Ele usou dois cartões de crédito furtados, furtados em março de 1999, do juiz Eduardo Hablitschek, então titular da comarca de Cachoeiras de Macacu. O roubo ocorreu na academia onde o magistrado praticava natação e Carlão, musculação.

Na ocasião, o traficante gastou R$ 20 mil. Entre outras coisas, comprou cinco aparelhos de TV, quatro videocassetes e dois aparelhos de som. Carlão também comprou anabolizantes e produtos usados por adeptos do exercício. Preso, confessou o uso dos cartões, mas alegou tê-los achado, negando o furto.

A quadrilha de Carlão parece estar próxima da extinção. Policiais da 16ª DP (Barra) prenderam nesta terça-feira mais dois jovens acusados de integrar uma o bando, que vendia drogas sintéticas para festas rave nas zonas Oeste e Sul do Rio. Felipe Freitas Pietsch Rauback, de 19 anos, foi preso quando foi à delegacia visitar "Carlão", chefe do grupo, e Tiago Costa Vieira, 19, foi detido em casa, em Jacarepaguá.

Segundo informações da polícia, outras pessoas que andavam com Carlão também serão investigadas. Segundo a polícia, Felipe é modelo e figurante da TV Globo, e contra ele havia um mandado de prisão, expedido com base em escutas telefônicas autorizadas pela Justiça.

O delegado Carlos Augusto Nogueira Pinto, titular da 16ª DP (Barra da Tijuca), afirmou, ao telejornal "RJ TV", que está investigando freqüentadores de raves que possam ter ligação com Carlos Domingos Moreira Júnior , 36 anos. A capturas dos dois primeiros comparsas de Carlão seria o primeiro passo para a desasrticulação de toda a quadrilha.

- O Tiago e o Felipe ajudavam o Carlão, de alguma forma, a vender entorpecente - afirmou o delegado.

Além das investigações que estão sendo realizadas por policiais da 16ª DP (Barra), pelo menos mais três operações de combate ao tráfico de drogas sintéticas estão em andamento no Rio e podem ser deflagradas ainda este mês. Segundo o chefe de investigações da Delegacia de Combate às Drogas, comissário Alexandre Estelita, a facilidade para esconder as drogas e o modismo vêm fazendo crescer o tráfico de varejo no Rio. Já existem morros, na Zona Sul e na Zona Norte, onde, além das drogas convencionais, como maconha e cocaína, há oferta de ecstasy, skank sintético e LSD.

- Escutas judiciais e outras investigações já mostram o comércio dessas drogas também em favelas. O tráfico das sintéticas vem aumentando muito, mas ainda não supera o volume de drogas como cocaína e maconha - disse Estelita, que há duas semanas prendeu dois jovens de classe média que vendiam ecstasy e LSD a moradores da Zona Sul.

A polícia chegou à quadrilha da Barra após quatro meses de investigações, que incluíram escutas telefônicas e gravações de video em raves. Em uma delas, Carlos aparece negociando comprimidos de ecstasy. Ele foi acusado de chefiar uma quadrilha que produz a droga em São Paulo e a negocia em festas rave da Barra, Recreio e Vargem Grande, além de eventos na Zona Sul. Na residência do acusado, os policiais encontraram três pés de maconha, que segundo a polícia, seriam decorativos. Na casa de Carlão não foi encontrado nenhum comprimido de ecstasy.

Os policiais informaram que ele vinha recebendo carregamentos semanais de até mil compridos há pelo menos três anos. Com a ajuda de dois comparsas, ele dominou a distribuição de drogas sintéticas na Barra e no Recreio. Segundo a polícia, Carlão chegava a vender centenas de pílulas numa única festa. Cada uma custava R$ 35, mas, no último mês, para fazer caixa mais rapidamente, ele cobrou R$ 25 por unidade.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 527 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal