Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

31/07/2012 - Midiamax Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

'Estelionatário do shopping' é indiciado e mais oito vítimas aparecem na delegacia

Por: Graziela Rezende


Além da agilidade para perceber as dificuldades das vítimas e da afirmação de ser uma pessoa influente e ‘sobrinho do governador André Puccinelli’, o ‘estelionatário do shopping’, como ficou conhecido Brayan Correa Pulquério, 22 anos, andava com uma foto da mansão do cantor Michael Jackson para dizer que era a sua casa, em Campo Grande, e convencia uma das vítimas a fazer compras para ele no Paraguai.

São estes, entre outros detalhes, que descobriu o delegado Wellington de Oliveira, durante quatro meses de investigações do acusado. Em março deste ano, após a divulgação de sua foto no site Midiamax, Brayan foi preso por guardas municipais em frente à Prefeitura Municipal de Campo Grande.

Por não ser pego em flagrante e sem antecedentes criminais, Brayan foi solto dois dias após passar a noite na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro. “E nestes quatro meses de investigação identificamos mais oito vítimas, mulheres nas quais ele prometia emprego em qualquer área desejada e uma vida boa”, conta o delegado Oliveira.

Após a oitiva das vítimas e a devolução de perfumes e eletrônicos, que ele fazia uma mulher comprar para ele no Paraguai e depois presenteava pessoas de seu interesse, como parte do golpe, o delegado encaminhou hoje o inquérito policial do acusado ao Ministério Público Estadual. “Só não conseguimos recuperar o notebook, oriundo de um golpe que ele aplicou em um taxista de Campo Grande”, conta o delegado Oliveira.

Os produtos, de acordo com a Polícia Civil, estavam sendo comercializados no camelódromo. Na ocasião, para se livrar dos crimes cometidos, estelionatário mais uma vez mostrou o seu poder de persuasão. Já nas celas, ele chegou a tentar “negociar” a sua liberdade, dizendo a polícia se não “poderia pagar uma indenização ou até prestar serviços a comunidade”, repetia Brayan, como se tivesse enganado apenas uma vítima.

Segundo o delegado, desde 2007 ele já enganou ao menos três taxistas e diversas outras vítimas, principalmente mulheres. E, Brayan já chegou a ser intimado a comparecer na 5° D.P. (Delegacia de Polícia), onde outras vítimas registraram boletim de ocorrência. Pelos crimes, ele pode ser condenado no máximo até quinze anos de reclusão. Amparim Lakatos

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 152 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal