Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

02/08/2012 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraudes com cartões crescem mesmo com chips de segurança

Especialistas alertam que golpes podem ocorrer através do telefone. Procon orienta como buscar ressarcimento em caso de fraude comprovada.

As tentativas de golpe com cartão de crédito têm aumentado apesar do crescimento do número de modelos com chip, que são mais seguros. No estado de São Paulo, a cada dez cartões, oito possuem chip. O consumidor precisa ficar atento porque apesar de trazerem mais segurança, os cartões podem ser clonados à distância.

Além da clonagem, que é copiar fisicamente o cartão, os golpistas estão praticando o chamado fishing. Mesmo sem ter acesso direto ao cartão, eles roubam dados que permitem fazer compras pela internet. A Associação Brasileira de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) informou que apesar de toda tecnologia envolvida, tem sido mais fácil clonar remotamente os cartões com chip. Muitas pessoas caem no golpe ao passar informações por telefone e utilizar sites falsos na internet.

Segundo o professor de computação da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Cesar Marcondes, as quadrilhas têm criados sites para enganar os clientes e conseguir números do cartão. “Tem que tomar muito cuidado, sempre olhar na barra de endereço se está certo o endereço do banco. O banco nunca vai pedir informações, você que vai e coloca as informações para o banco", alertou.

O golpe também pode ser feito por telefone quando os golpistas se passam por funcionários da operadora do cartão para conseguir mais dados. “A operadora nunca vai atrás de informações do cliente, sempre é o cliente que vai atrás da operadora”, lembrou o professor.

Em caso de fraude, a orientação é acionar a administradora do cartão e fazer um boletim de ocorrência. Os órgãos de defesa do consumidor podem ajudar a ressarcir o dinheiro. O serviço de Proteção ao Consumidor (Procon) de Rio Claro (SP) recebeu 100 denúncias de no ano passado. Até junho deste ano, 150 ocorrências já foram relatadas.

“Desde que detectada uma fraude, o consumidor deve brigar, com o Procon ao lado dele, acionando a instituição financeira para ter o seu dinheiro de volta”, recomendou Sérgio Santoro, diretor do Procon de Rio Claro.

Para evitar os golpes, além de não passar informações por telefone e ter cuidado ao acessar sites, o consumidor precisa estar atento para que o cartão não seja clonado nos caixas eletrônicos. Muitas vezes os bandidos substituem toda a parte da frente das máquinas, a qualquer sinal de alteração, os clientes devem acionar a gerência do banco para comunicar a irregularidade. Caso a agência esteja fora de horário de funcionamento, é recomendado chamar a polícia.

“Se o cliente identificar uma movimentação na conta suspeita de fraude, ele deve ligar diretamente para o banco para que a movimentação irregular possa ser rastreada, e procurar o gerente da agência para que ele possa abrir um protesto contestação de saque e, se comprovada a movimentação, ele seja ressarcido do valor”, recomendou Henrique Holtz, gerente geral da Caixa Econômica Federal.

Os bancos oferecem serviços gratuitos para que o cliente possa acompanhar a movimentação financeira das contas, como o envio de sms a cada transação. Para utilizar essa ferramente, é necessário fazer um cadastro no caixa eletrônico, internet banking ou direto com o gerente da conta.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 161 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal