Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

22/07/2012 - Midiamax Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Ex-policial que ganhava menos de R$ 2 mil tinha mansão avaliada em R$ 1 milhão


Condenados pela Justiça Federal do Rio de Janeiro em abril pelo crime de lavagem de dinheiro, três ex-policiais civis que pertenciam ao grupo dos "inhos" ganhavam salários de menos de R$ 2.000 mensais da corporação mas possuíam imóveis avaliados em até R$ 1,5 milhão, segundo relatório da sentença proferida pela 4ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

Os ex-policiais, que foram expulsos da corporação mas estão em liberdade, foram denunciados pelo crime em 2006 pelo Ministério Público Federal. A condenação ocorreu somente em abril deste ano. Os imóveis, consta nos autos, foram colocados em nomes de parentes dos ex-policiais, que eram usados como "laranjas".

O grupo dos "inhos", de acordo com a Justiça Federal, era formado por agentes que teriam sido supostamente capitaneados pelo ex-chefe da Polícia Civil fluminense, Álvaro Lins, que comandou o órgão em períodos dos governos de Anthony Garotinho (1999 a 2002) e Rosinha Garotinho (2003 a 2006).
De acordo com os autos, a mulher de um dos ex-policiais condenados, Fábio Menezes de Leão, o Fabinho, teria adquirido uma mansão na rua José Carlos Pace, no bairro do Anil, em Jacarepaguá, na zona oeste da capital, em 2005.

O imóvel, consta na sentença, estava avaliado em R$ 1 milhão. Tinha 800 metros quadrados de área construída, com piscina, campo de futeobl gramado, adega subterrânea, sauna e quatro quartos.
O casal declarou ter comprado o imóvel por R$ 280 mil na época sendo que a mulher de Fabinho alegou ter comprado a mansão com dinheiro de uma suposta herança.

Consta ainda no processo que Fabinho teria vendido também 11 terrenos, entre 2004 e 2005, no bairro de Guaratiba, na zona oeste da capital, por valores entre R$ 30 mil e R$ 120 mil. Somando tudo, os lotes valeriam R$ 417 mil.

Fabinho foi condenado a seis anos de prisão em regime semiaberto e 133 dias-multa no valor de um salário mínimo.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 274 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal