Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

19/07/2012 - O Dia Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Contra fraude, metrô muda os bilhetes de integração

Por: Diogo Dias

Tíquetes atuais só serão aceitos até domingo. O DIA denunciou esquema milionário.

Rio - O bilhete de integração entre ônibus expresso e metrô será substituído na próxima semana. O modelo atual, que estava sendo alvo de esquema milionário de fraude, mostrado em série de reportagens de O DIA ano passado, poderá ser utilizado apenas até domingo.

Outra novidade para usuários do metrô é a operação diferenciada aos fins de semana, quando o novo trem chinês será testado à noite na Linha 2. Os bilhetes antigos estavam sendo negociados no mercado paralelo por rodoviários e atravessadores.

A quadrilha oferecia os tíquetes, que custavam R$ 4 na época da denúncia, por preço menor. Pelo menos cinco integrantes do esquema foram detidos em novembro, após publicação da matéria. Os bilhetes permitem embarque nos dois meios de transporte com desconto: em vez de custar R$ 5,60, a integração saía a R$ 4.

Rodoviários aproveitavam tíquetes comprados a R$ 2,50 por passageiros de ônibus que não exigiam o benefício e completavam R$ 1,50 para ter acesso à passagem do metrô.

Eles revendiam tíquetes por R$ 2 aos golpistas que os ofereciam na porta das estações por R$ 2,80 a R$ 3. Na bilheteria, custava, então, R$ 3,10.

O bilhete vai substituir o tíquete de papel. Assim, o usuário terá um prazo de até duas horas para usá-lo na integração. Essa restrição dificultará a comercialização irregular. De acordo com a MetrôRio, o novo modelo facilita o rastreamento de cada unidade. Cerca de 1 milhão de integrações são vendidas por mês, e todas estavam sujeitas à fraude.

14 linhas

Os novos cartões unitários começam a ser vendidos segunda-feira por R$ 4,15. Os bilhetes, bloqueados, serão vendidos só em 14 linhas de ônibus.

Em seguida, nas estações com integração, o cartão deverá ser introduzido nos validadores. No sentido metrô-ônibus, não haverá modificações no sistema.

Trem chinês de passagem pelas estações

Usuários do metrô poderão conferir, a partir de sábado, o visual externo dos trens da China. As composições vão passar por testes, circulando pela Linha 2 sem embarque de passageiros, mas durante o horário de funcionamento. Por isso, haverá um esquema especial nos fins de semana à noite.

Os testes serão aos sábados, de 21h a 0h, e aos domingos, entre 21h e 23h. Nestes intervalos, a Linha 2 operará normalmente entre as estações Estácio e Colégio.

Quem for até Pavuna deverá desembarcar em Colégio e pegar outra composição, que partirá a cada 20 minutos. A alteração será divulgada através de avisos sonoros, telas e por funcionários.

A primeira das 19 composições chinesas deve estrear com usuários no fim do mês que vem. O trem passa por testes desde abril e precisará rodar pelo menos 10 mil km até ser liberado para passageiros.

Espaço-padrão para facilitar reboque de carro avariado

O vão entre o trem e a plataforma será de nove centímetros em todas as estações, segundo a MetrôRio. A concessionária explicou que a polêmica obra de diminuição da plataforma, que O DIA revelou esta semana, é para facilitar a manobra das composições em caso de emergência, e nada tem a ver com erro no projeto do trem chinês.

A ideia dessa obra surgiu após observação de problema na suspensão de composição do metrô de São Paulo. A largura justa entre o trem e a plataforma dificultou o reboque e paralisou todo o sistema, ano passado.

A empresa afirma que há motor em quatro carros das composições chinesas e não num só, como acusava o sindicato dos metroviários.

“A plataforma na reta deveria ter 9 centímetros. Tem lugar que é 8, tem lugar que é 4. Se ocorre problema de suspensão, tem que ter a folga que permite que você traga a composição. Não tem nada a ver com os novos trens. O projeto de acabamento não terminou e isso não o impediu de rodar”, explicou o diretor de Engenharia do MetrôRio, Joubert Flores.

Em teste na madrugada desta quinta-feira, havia desnível entre a altura do trem e plataforma. A concessionária afirma que isso será ajustado até o início da operação dos novos trens.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 258 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal