Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

08/10/2007 - Gazeta Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Universitários apostam que enganariam a polícia e acabam na delegacia

Por: Amanda Zambelli


Uma aposta entre dois amigos virou caso de polícia na manhã desta segunda-feira (8). O estudante de engenharia, Marlon Nazarino, de 23 anos, foi preso acusado de tentar tirar documento de identidade com a certidão de nascimento do colega de quarto, o universitário Vitor Diogo Amaral, também de 23 anos. O curioso foi o motivo do crime: Marlon, de acordo com as investigações, apostou R$ 1 mil com Vitor que conseguiria tirar a carteira de identidade com a documentação do amigo.

Segundo informações do titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações (Defa), delegado Lauro Coimbra, em depoimento prestado nesta segunda, Marlon explicou que há cerca de 15 dias ele apostou R$ 1 mil com Vitor que conseguiria tirar a carteira de identidade com a certidão de nascimento do colega de quarto.

O universitário contou que foi a um Posto de Identificação, em Vitória, com a certidão de nascimento do amigo e uma foto 3x4. Lá efetuou todo o procedimento necessário para tirar a Carteira de Identidade. Ao verificar os dados no sistema, a polícia constatou que as impressões digitais de Marlon não estavam de acordo com a documentação entregue por ele.

Na última sexta-feira (5), dia em que o estudante poderia retirar o documento, ele foi informado de que deveria comparecer à Polícia Técnico-Científica nesta segunda-feira (8), porque foram encontradas irregularidades na documentação.

Ao chegar à Polícia Técnico-Científica, em Vitória, nesta segunda-feira, um policial já esperava pelo rapaz. Ele foi encaminhado para a Defa. Após prestar depoimento, o universitário foi liberado.

O delegado Lauro Coimbra explicou que o universitário será indiciado por crime de falsidade ideológica e, se condenado, pode pegar de dois a cinco anos de prisão.

Nesta terça-feira, às 10h, será a vez de Vitor Diogo prestar depoimento. Se as informações contidas nos dois depoimentos forem confirmadas, Vitor também será indiciado pelo mesmo crime, mas como co-autor, podendo ser condenado de dois a cinco anos de reclusão.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 368 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal