Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

09/06/2012 - Yahoo Notícias / Agência O Globo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraude bancária, via web, vai a R$ 685 milhões

Por: Paulo Justus


SÃO PAULO - O aumento do acesso aos serviços bancários e ao cartão de crédito nos últimos anos no país vem acompanhado de uma maior quantidade de vítimas de fraudes bancárias. Embora não haja um número que mostre exatamente o impacto desses crimes, a estimativa mais recente da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) indica que só as perdas com fraudes bancárias por meio eletrônico chegaram a R$ 685 milhões em 2011, valor 36% maior do que o do mesmo período do ano anterior. Não foram considerados nesse total, por exemplo, os danos com a clonagem física de cartões de crédito ou de débito.

O meio eletrônico é o que mais cresce entre as formas de acesso bancário. Segundo a Febraban, as transações no internet banking cresceram 20% em relação ao ano anterior. Em 2011, 54 milhões de pessoas acessaram suas contas pela internet, 92% mais do que os 28 milhões que usaram o serviço no ano de 2002.

A entrada desses clientes ainda pouco familiarizados com os sistemas de compra on-line e de comércio eletrônico facilita a ação dos cibercriminosos, diz Jorge Krug, que participa do comitê de prevenção e segurança da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs).

O uso de dispositivos móveis, como tablets e smartphones, para transações bancárias impulsiona o aumento das fraudes, diz Fernando Belfort, analista sênior da consultoria Frost & Sullivan:

- O Brasil é um dos países no mundo onde pouquíssimas instituições concentram mais de 80% da população bancarizada. Se você atacar três ou quatro grandes bancos, consegue atingir grande parte do país. Isso atrai criminosos de outros países.

A falta de uma legislação que caracterize o crime virtual incentiva os criminosos. Para o especialista em direito digital Rony Vainzof, sócio do Ópice Blum Advogados, faltam leis que criminalizem a invasão domiciliar de computadores e a disseminação de códigos maliciosos.

Ele lembra que fraudes na internet podem ser enquadradas em pelo menos três tipos de crime: interceptação de dados, falsidade ideológica e estelionato. Segundo a Polícia Federal (PF), em 2011 foram cumpridos 110 mandados de prisão preventiva e 145 mandados de busca e apreensão contra grupos de cibercriminosos.

Bancos investem R$ 2 bilhões em sistemas de segurança

Pesquisa da fabricante de antivírus Norton mostrou que os crimes virtuais levaram a um custo de US$ 63,3 bilhões para o país no ano passado. Desse total, US$ 15,3 bilhões se devem ao custo dos bens e de resolução dos problemas causados pelos ataques, incluindo fraudes bancárias on-line, que, segundo a empresa, são o principal motivo das invasões a computadores no país.

Para os bancos, o aumento das fraudes virtuais se reflete em um custo operacional maior. De acordo com Gustavo Roxo, sócio da consultoria Booz & Company, o valor das perdas operacionais com fraudes bancárias se equipara ao de perdas internas e às originárias de ações trabalhistas.

Com o objetivo de reduzir esses gastos, as instituições investem anualmente R$ 2 bilhões em sistemas de segurança eletrônica, segundo a Febraban. Levantamento da Frost & Sullivan mostra que a receita das empresas de segurança da informação deve crescer 14% nos próximos quatro anos no Brasil, totalizando US$ 460 milhões em 2016.

As reclamações sobre falhas bancárias na Fundação Procon de São Paulo, o que inclui possíveis vítimas de fraudes, cresceram 21% no primeiro trimestre de 2012. De acordo com a diretora de atendimento da entidade, Selma do Amaral, os crimes pela internet constituem hoje a maior parte dos casos de vítimas de fraude bancária.

Nas transações com o cartão físico, a adoção dos chips reduziu os casos de golpes. Segundo a Abecs, os cartões com chip são hoje cerca de 85% das transações no país, nível que os EUA esperam ter apenas em 2015.

- Atualmente não há tecnologia que permita a clonagem dos cartões com chip. As fraudes que existem hoje nesses casos envolvem também o roubo das senhas de acesso da vítima - diz Luiz Fernando Martins, gerente executivo de Gestão da Segurança do Banco do Brasil.

As fraudes são o principal tipo de crime virtual cometido no Brasil. No ano passado, a Polícia Federal (PF) registrou 324 mil cibercrimes. O prejuízo causado por estes grupos de cibercriminosos é estimado pela PF em mais de R$ 15 milhões somente em danos contra a Caixa.

O advogado Rodolfo Bustamente teve seu cartão de débito clonado em 30 de dezembro. Percebeu ao tentar pagar uma conta na loja de conveniência de um posto de gasolina. O que não conseguiu, já que máquina respondeu: transação não autorizada - mensagem que indica, em geral, saldo insuficiente. Os fraudadores tinham efetuado uma compra de pouco mais de R$ 3 mil e, por ser uma operação atípica, o banco bloqueou o cartão. O dinheiro roubado, no entanto, só voltou à conta depois de um mês. Bustamente entrou com uma ação por danos morais contra o banco.

- Alguns meses depois, ganhei a ação e uma indenização de R$ 5 mil.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 221 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal