Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

24/05/2012 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Anteprojeto prevê que deixe de ser crime o não pagamento de imposto

Juristas sugerem punição somente para quem frauda para deixar de pagar. Proposta para Código Penal ainda vai ser analisado por Senado e Câmara.

A Comissão de Juristas formada para elaborar proposta de um novo Código Penal aprovou, nesta quinta-feira (24), a previsão de que o não pagamento de tributos até o valor de R$ 20 mil deixe de ser enquadrado como crime. Pelo anteprojeto, que ainda será objeto de análise do Senado e da Câmara, será penalizado apenas quem praticar fraudes com a intenção de pagar menos ou se eximir de impostos ou contribuições sociais.

Atualmente, são puníveis com 2 a 5 anos de prisão, além de pagar multa, ambas as situações. A fraude diferencia-se do não pagamento quando envolve, por exemplo, omissão de informação ou declaração falsa à Receita e falsificação de nota fiscal, entre outras práticas para burlar o fisco.

Pela proposta, a mesma pena deixaria de ser aplicada para quem simplesmente deixar de recolher, dentro do prazo, os valores de tributo devido até o limite de R$ 20 mil. Nesses casos, a punição vai se limitar à esfera cível, como o pagamento de multas. O tempo de prisão para a fraude na proposta do novo Código Penal não foi alterado.

Caução

Durante as discussões da comissão, os juristas também aprovaram dispositivo que extingue o processo penal caso a pessoa deposite em juízo o valor devido, o chamado depósito caução. A atual legislação só permite a extinção da punibilidade quando o sonegador paga o que foi devido antes do oferecimento da denúncia pelo Ministério Público.

No novo projeto, o pagamento poderá ser realizado a qualquer momento da ação penal, desde que o processo não tenha terminado definitivamente, o chamado trânsito em julgado.

A intenção dos juristas que elaboram o anteprojeto de novo Código Penal é estimular o pagamento das dívidas tributárias. Para o relator do anteprojeto, Luiz Carlos Gonçalves, contrário à proposta vencedora, somente pessoas com recursos financeiros poderão se valer dessa ferramenta.

"Se você é rico e sonegador, fique tranquilo; não haverá ação penal contra você. O que a comissão acabou de fazer, na prática, foi a descriminalização da sonegação de impostos. Acabou o crime tributário no Brasil", desabafou o relator.

A expectativa do relator do anteprojeto é que a comissão apresente o novo Código Penal ao Senado até o dia 25 de junho deste ano.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 97 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal