Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

12/05/2012 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

MP de Goiás denuncia 16 por fraude na Associação de Combate ao Câncer

Entre denunciados estão empresários, diretores e funcionários associação. Denúncia é um desdobramento da Operação Biopsia, realizada em fevereiro.

O Ministério Público (MP) estadual denunciou 16 pessoas por fraudes na Associação de Combate ao Câncer de Goiás. A denúncia é um desdobramento da Operação Biopsia, realizada no dia 7 de fevereiro deste ano.

Entre os denunciados estão empresários, diretores e funcionários da contabilidade da associação, que é uma instituição filantrópica e administra o Hospital Araújo Jorge. O MP pede à Justiça que a presidente afastada, Criseide Dourado, seja condenada pelos crimes de desvio e lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e formação de quadrilha.

Depois de ouvir vários funcionários e reunir documentos da contabilidade, os promotores comprovaram o desvio de pelo menos R$ 1 milhão desde 2008. “O paciente que tinha condições econômicas e tinha um tratamento particular, tinha retorno e consulta no dia seguinte e, aquele que estava ali aguardando tratamento pelo SUS, tinha que aguardar até sete ou oito meses para um simples retorno”, afirma o promotor de Justiça Denis Bimbati.

Operação Biopsia

As irregularidades vieram à tona em fevereiro deste ano, quando foi deflagrada a Operação Biopsia. Oito pessoas foram detidas.

A investigação identificou também que, em 2010, o ex-secretário de saúde de Goiânia, Paulo Rassi, pediu que a associação comprasse 100 mil frascos de soro. A compra, que teria sido superfaturada, custou mais de R$ 300 mil e a mercadoria nunca foi entregue.

Paulo Rassi, que atualmente é secretário de saúde de Aparecida de Goiânia, foi denunciado por desvio de dinheiro público e dispensa de licitação.

Por telefone, o ex-secretário de saúde de Goiânia, Paulo Rassi, afirmou que em 2010, apenas uma empresa fornecia soro e que com o grande número de casos de dengue registrado no período, a demanda por soro foi muito grande. Por isso, não havia tempo para uma nova licitação e assim solicitou a compra através da Associação de Combate ao Câncer de Goiás.

Paulo Rassi admite que a única falha foi não fazer o contrato de doação. O ex-secretário garante ainda que a mercadoria foi entregue.

A ex-presidente da associação, Criseide Dourado, foi procurada, mas ela não atendeu as ligações.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 287 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal