Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

08/05/2012 - O Documento Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Donos de vans garantem pagar impostos e denunciam fraudes nos ônibus


Em nota encaminhada a imprensa na tarde de hoje, o Sindicato das Empress de Transporte Público Alternativo de Mato Grosso rebateu as empresas de transporte coletivo que obtiveram uma liminar proibindo o trânsito de vans na capital. Na nota, o sindicato anunciou que irá recorrer da decisão.

De acordo com a nota, as empresas do transporte coletivo é que estão operando na ilegalidade, tendo em vista que elas originaram de fusões das que venceram a licitação do transporte, ocorrida em 2002. Hoje, operam no transporte intermunicpal as empresas Pantanal, Expresso e Integração Transportes Urbanos.

As vencedoras da licitação em 2002 foram: Expresso Nova Cuiabá, Coxipó Transportes Urbanos, Auto Viação Princesa de Sol. Além disso, o sindicato alega que a implantação do transporte alternativo ocorreu em conformidade com a prefeitura de Cuiabá e que existem planilhas com horários e as rotas regulamentados pela SMTU.

NOTA DE ESCLARECIMENTO
O SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE PÚBLICO ALTERNATIVO DE PASSAGEIROS DO ESTADO DE MATO GROSSO- SETA-MT (microônibus)vem a público esclarecer que a liminar concedida pelo juiz da 1ª Vara Cível de Cuiabá, Márcio Guedes às empresas de ônibus Pantanal, Norte Sul e Integração sob o argumento que os microônibus estariam operando em sobreposição de horários e rotas em linhas licitadas, não condiz com a verdade.

Primeiro que em 2002, as empresas que entraram na Justiça não participaram do processo licitatório da época. E assumiram as 23 linhas e rotas por fusão de empresas e substituição de maneira irregular, visto que na época ganharam a licitação, as empresas que não mais atuam em Mato Grosso que são a Expresso Nova Cuiabá, Coxipó Transportes Urbanos, Auto Viação Princesa de Sol. No entanto, as novas empresas simplesmente assumiram de maneira ilegal o sistema, conforme ação civil pública proposta pelo Ministério Público Estadual.

Já ao contrário das empresas de microônibus que atuam no sistema de transporte de Cuiabá com permissão da prefeitura do município devidamente regulamentado e também com planilhas de horários e rotas determinadas pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte Urbano(SMTU), ou seja de maneira absolutamente regular.

A SETA esclarece que a sua maior preocupação é atender a população dentro da legalidade por isso está sempre pagando seus impostos, investindo em frota nova e treinamento para os motoristas e cobradores do sistema alternativo. Informa que estará lutando para reverter a situação para que a região do Coxipó, região do CPA, Jardim Imperial e Cidade Verde, não fiquem sem atendimento.

SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE PÚBLICO ALTERNATIVO DE PASSAGEIROS DO ESTADO DE MATO GROSSO- SETA-MT

João Pedro Wesner
Presidente

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 208 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal