Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

26/04/2012 - Tribuna Hoje Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Sá Rocha terá de cumprir medidas cautelares

Por: Milton Rodrigues e Nigel Santana

Ex-secretário evitou falar com a imprensa e está sendo ouvido em uma sala secreta pelo colegiado da 17ª Vara.

O ex-secretário de defesa social, Edson Sá Rocha, chegou nesta quinta-feira (26) ao Fórum Jairon Maia Fernandes para prestar depoimento aos juízes da 17ª vara criminal, sobre o processo que apura fraudes em compra de alimentos para o sistema prisional. Ele chegou acompanhado dos advogados e evitou falar com a imprensa.

A equipe de reportagem do portal Tribuna Hoje conversou com o advogado Daniel Brabo, que acompanha o caso. Brabo disse que o ex-secretário afirmou que quando assumiu a pasta da Defesa Social, em 2007, a situação do órgão era precária. “O general me falou que poderia haver uma rebelião por conta do não fornecimento de alimentos ao sistema prisional”. Os fornecedores, ainda segundo Rocha, não tinham recebido pagamento.

O general presta esclarecimentos em uma sala secreta ao colegiado da 17ª Vara. Espera-se que Rocha dê explicações sobre as irregularidades encontradas durante a Operação Espectro, deflagrada no último mês de março. Na ocasião, foi apurado um esquema de desvio de cerca de R$ 300 milhões envolvendo as merendas dos presos.

Três militares estão sendo acusados de participar da fraude entre os anos de 2007 e 2009. Além deles, a empresária Luíza Maria de Barros, o servidor público Cícero Veríssimo ferreira e o policial civil Hibernbon Vieira também estão presos por envolvimento.

O delegado Haroldo Lucca, titular da Delegacia de Combate aos Crimes contra Ordem Tributária e Administração Pública (Decotap) foi preso na terça-feira, também por determinação da 17ª Vara, acusado de ter descontado os cheques apreendidos na Operação Espectro.

O general foi o único acusado que se apresentou à Justiça de maneira espontânea e deve ficar livre da cadeia por problemas de saúde.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 86 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal