Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

17/04/2012 - Mídia News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Irmão de Ronaldinho é condenado a prisão por lavagem de dinheiro

Assis teria movimentado dinheiro ilegalmente e sonegado impostos.

O irmão do jogador Ronaldinho, Roberto Assis Moreira, foi condenado a cinco anos e cinco meses de prisão no regime semiaberto por lavagem de dinheiro e sonegação de impostos. A condenação, publicada nesta segunda-feira (16) pela Justiça Fedral, é referente a uma movimentação financeira realizada do exterior para o Brasil. A decisão é em primeira instância e Assis pode recorrer. Ele responderá o processo em liberdade.

Além da pena privativa de liberdade, Assis teria de pagar multa no valor de 40 salários mínimos vigentes na época do suposto crime.

De acordo com o parecer do juiz, os valores oriundos da Suíça, movimentados em 2003, não foram declarados ao Banco Central. O valor total das transferências foi de US$ 884.496. Procurado pela reportagem, o advogado de Roberto Assis Moreira, Sérgio Queiroz, afirmou que o seu cliente não se manifestará sobre o assunto.

"Este processo está em segredo de justiça. Não tenho a autorização para me manifestar sobre o caso", disse o advogado.

A situação de Ronaldinho é complicada tanto dentro de campo, com o fracasso do Flamengo na Copa Libertadores, como fora dele. Na semana passada, a Câmara dos Vereadores de Porto Alegre instalou uma CPI para investigar supostas irregularidades cometidas nos convênios entre o Instituto Ronaldinho Gaúcho (IRG) e a prefeitura da cidade. Investigações apontam que há compras não comprovadas com notas fiscais, além da apresentação de notas fiscais emitidas em série e sem discriminação.

Em contato com o G1, o advogado Sérgio Queiroz garantiu que todas as contas entre o IRG e a Prefeitura estão em dia, o que, segundo ele, pode comprovado por meio de uma certidão negativa de débitos.

Na metade de fevereiro, a Divisão de Fiscalização da Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio (Smic) de Porto Alegre interditou preventivamente a casa noturna Planet Music Hall, de propriedade da família Assis Moreira, depois que um jovem de 18 anos foi assassinado em frente ao local. Ele foi morto após deixar a casa noturna. De acordo com a Polícia Civil.

Foi atingido por vários tiros por um homem que estava na carona de uma motocicleta. Ainda dentro da casa, o autor do crime teria agredido o rapaz, após uma discussão.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 249 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal