Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

13/04/2012 - Band Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia deve indiciar 10 mil por fraude em SP

Motoristas, que participaram de um esquema de transferência irregular de pontos de multas, responderão por falsidade ideológica.

Cerca de 10 mil motoristas podem ser indiciados por falsidade ideológica por participarem de um esquema de transferência irregular de pontos de multas. Para repassar os pontos da CNH (Carteira Nacional de Habilitação), os condutores pagavam entre R$ 200 e R$ 500 para despachantes.

Dois despachantes, suspeitos de coordenarem o esquema, e funcionários do Detran (Departamento de Trânsito) são investigados e também podem ser indiciados se a participação deles no esquema de fraude ficar comprovada.

Segundo o titular da Delegacia de Crimes de Trânsito, José Sampaio Lopes Filho, os despachantes convenciam motoristas a transferir os pontos e contavam com a ajuda de servidores para realizar a fraude. Em vez de serem computados na habilitação dos motoristas infratores, os pontos iam para a CNH do marceneiro Luiz Carlos Silva, de 37 anos.

Embora tenha permissão para conduzir apenas motos, ele acumulava 100 mil pontos em multas de automóveis, caminhões e ônibus. Silva é o único indiciado até agora.

“Os pontos do prontuário dele foram apagados, mas rastreamos e, pelas placas dos veículos, levantamos os nomes dos motoristas. Todos serão intimados”, afirma o delegado Lopes Filho. Ele investiga o caso desde fevereiro, quando Silva, morador de Peruíbe, no litoral sul, prestou depoimento. O marceneiro nega participação mas, para a polícia, está envolvido. “Ele recebia entre R$ 25 e R$ 100 por cada ponto”, diz o delegado.

Se condenados, os motoristas que transferiram pontos de multas pode ser condenados a até cinco anos de prisão.

Procurado, o Detran informa que está colaborando com as investigações e que abriu processo interno para averiguar o fato, que pode resultar na exoneração de servidores que participaram da fraude.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 148 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal