Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

30/03/2012 - Diário de Pernambuco Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Golpistas são presos por vender falsas vagas de emprego para Tribunal de Justiça


Três golpistas foram presos e autuados por estelionato em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O grupo oferecia emprego no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), dizendo que eram vagas remanescentes de concursos públicos. Segundo a Polícia Civil, cerca de 400 pessoas caíram no golpe e os falsários lucraram quase R$ 120 mil com o crime.

A líder do grupo é Elisa Amaral de Oliveira, 39, que era auxiliada por Adriana Asckar Braga Cardoso, 43, e Valdo Francisco Esteves Junior, 51. Oliveira dizia às vítimas que tinha contato com um desembargador do TJMG e oferecia vagas pra trabalhar diretamente com esse magistrado. Cobrava entre R$ 200 e R$ 2 mil para “arranjar” o emprego.

Segundo a polícia, a história de Elisa era inventada. Ela não conhecia ninguém no tribunal e ludibriava as pessoas com a oferta de trabalho. Os golpistas falsificavam um termo de posse para que o candidato tivesse certeza de que ocuparia a vaga na Justiça de Minas. Porém, entregavam esse documento às vítimas, mediante pagamento, e desapareciam.

Cardoso e Júnior ajudavam na captação de candidatos. Os três foram presos na quinta-feira depois que uma pessoa desconfiou do golpe e procurou uma delegacia de Betim. O denunciante havia marcado um encontro com Júnior, na Praça Afonso Arinos, em BH, para a entrega do termo de posse. Conforme a policia, os encontros entre vítimas e estelionatários aconteciam sempre em locais públicos.

A polícia montou um cerco para flagrar Júnior no encontro. Ele foi ao local marcado acompanhado de Cardoso. Os dois foram presos em flagrante e apontaram Oliveira como a “ cabeça” do esquema. Disseram que, inicialmente, foram vítimas da mulher, que era líder do grupo, mas não explicaram à polícia porque continuaram ajudando no golpe. A terceira integrante do bando foi presa em casa. Na residência, foram apreendidos computadores, cópias de documentos de vítimas e um termo de posse falsificado.

Segundo a polícia, os três são muito inteligentes e Júnior “excepcionalmente” articulado. Agiam com organização para que o golpe funcionasse bem. Diferentemente dos outros dois presos, Oliveira assumiu o crime e disse que lucrou cerca de R$ 120 mil em dois anos de golpe.

O trio foi autuado por estelionato e encaminhado para unidades prisionais. Oliveira e Cardoso estão no Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) Centro-Sul na capital e Júnior foi para o Ceresp-Betim. As investigações sobre os crimes vão continuar em BH. A polícia tenta identificar vítimas e outros possíveis envolvidos nos golpes.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 336 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal